segunda-feira, 18 de junho de 2018

Os Samaritanos

Quase toda a gente já ouviu falar dos Samaritanos(nem que seja do “Bom Samaritano”). Quando Salomão morreu,o seu Reino dividiu-se entre o Reino do Sul,Judá,e outro a Norte,Israel.O reino do norte farto do que poderíamos chamar o centralismo de Judá e da sua Capital Jerusalém,recusava reconhecer esta cidade como;Cidade Santa. Os Assírios entretanto invadiram este território e destruíram o Reino e deportaram uma grande parte dos habitantes.Alguns Assírios estabeleceram-se aí,mas segundo os Samaritanos seriam poucos e prontamente assimilados,sem contributos culturais ou religiosos;em compensação os Judeus diziam que os Samaritanos eram descendentes desses mesmo colonos,uma nova população com outros Deuses que misturando-se acabariam por criar um Povo mestiço e Religião sincrética.De qualquer maneira,os Samaritanos tinham o seu Templo,rival de Jerusalém,no monte Guerezim.
Nos séculos seguintes,foram perseguidos pelos Judeus,mal tolerados pelos Romanos, quase exterminados pelos Bizantinos,conseguiram sobreviver até ao século XX, reduzidos a menos de um milhar.
Não são considerados verdadeiros Judeus pelos grupos de Judeus mais Ortodoxos(e eles devolvem o "agradável"cumprimento,considerando que eles é que são os verdadeiros seguidores da antiga Religião).Mas para um leigo, são indistinguíveis,pois ambos circuncidam-se,reverenciam a Torá,têm os mesmo mandamentos,e a maioria das Crenças são as mesmas.
No entanto,mantêm um Sacerdócio hereditário(descendentes dos antigos Sacerdotes do Velho Testamento),recusam todos os outros livros Sagrados dos Judeus(como o Talmud),ainda praticam os sacrifícios de animais,acabam por ser bastante Arcaicos(o Judaísmo é praticamente resultado das transformações dos Rabinos depois da destruição do segundo Templo de Jerusalém).

segunda-feira, 11 de junho de 2018

Povos Ibericos;O Cónios

Os Cónios (em Francês;Occitano,em Piemontês;Coni,em Italiano;Cuneo,e em Latim;Conii) eram os habitantes das actuais regiões do Algarve e Baixo Alentejo, no Sul de Portugal, em data anterior ao séc. VIII a.C., até serem integrados na Província Romana da Lusitânia. Inicialmente foram aliados dos Romanos quando estes últimos pretendiam dominar a Península Ibérica.

A origem étnica dos Cónios permanece uma incógnita. Para os defensores das teorias linguísticas actualmente aceites; a origem comum na Anatólia ou no Cáucaso das línguas Europeias e Indianas; ou seja, línguas Indo-Europeias, os Cónios teriam uma origem Celta, proto-Celta, ou pré-Céltica Ibérica.

Antes do sec. VIII a.C., a zona de influência Cónia, segundo estudo de caracterização Paleoetnológico da região, abrangeria muito para além do Sul de Portugal. Com efeito, o referido estudo baseando-se em textos da antiguidade Grego-Romana bem como na toponimia de Coimbra del Barranco, em Murcia, Espanha, e de Conímbriga, propõe que os Cónios ocuparam uma região desde o Centro de Portugal até ao Algarve e todo o Sul de Espanha até Murcia. Em abono desta tese podemos acrescentar o Alto de Conio, e o pico de Conio no Municipio de Ronda, na região autónoma da Andaluzia.
Segundo Schulten, que considera os Cónios uma das Tribos Ligures e afirmou que;

"Os Ligures são o povo original da Peninsula"

Os Cónios também teriam marcado presença, não só em Portugal como em Espanha e na Europa, onde os Ligures se fixaram. Confirmando esta teoria temos os seguintes topónimos; No norte de Espanha, encontramos o desfiladeiro, Puerto de Conio e o alto de Conio na região autónoma das Astúrias, onde terão habitado a Tribo dos Coniscos, descendentes dos construtores do Dolmen de Pradías, de época Neolítica, para muitos relacionada com os Cónios. Nesta região terá existido uma Cidade, actualmente desconhecida, incluída num dos Caminhos de Santiago; Asseconia. Também, estudos genéticos indicam que os Bascos são o Povo mais antigo da Península e poderão estar relacionados com os Cónios através da tribo dos Vascones.
Na França , os Ligures também terão sido "empurrados" para as regiões montanhosas. Mas, em vez da Ronda Espanhola ocuparam a região do Ródano-Alpes. O testemunho da presença Ligure poderá ser a tribo Iconii, conhecidos pelas Tribos vizinhas como os Oingt, originando a localidade de Oingt (Iconium em Latim) e a região de Oisans.
No Norte de Itália, junto ao Ródano Italiano a marca da presença Ligure dos Cónios, para além da Ligúria também nos aparece, um pouco mais a Norte, não só nas comunas Coniolo e Cónio, como na Provincia com o mesmo nome, na Província de Cónio, da região de Piemonte. Para outros Investigadores que terão ido mais longe, os Povos “Ibéricos” além de possuírem a Península Ibérica, França, Itália e as Ilhas Britânicas, penetraram na Península dos Balcãs, e ocuparam uma parte de África, Córsega e Norte da Sardenha. Actualmente, e à luz de recentes estudos genéticos, aceita-se que uma Raça com características razoavelmente uniformes ocupou o Sul de França (ou pelo menos a Aquitânia), toda a Península Ibérica e uma parte de África do Norte e da Córsega. Os topónimos a seguir enumerados também atestam estes dados; Nas Ilhas Britânicas o assentamento fortificado Romano Viroconium,é atribuido á Tribo Cornovii, proveniente da Cornualha. Provavelmente, utilizados pelos Romanos como Tribo tampão contra os ataques Escoceses e incursões Irlandesas.


Image and video hosting by TinyPic
Muitos autores concordam que a Lingua Cónia teria um substrato muito antigo relacionado com Osco, Latim e Ilirico. No Chipre encontramos uma Localidade com o topónimo Konia Nos Balcãs encontramos a Tribo dos Trácios Cicones que poderão estar relacionados com os Cónios e com os Povos que invadiram a Anatólia, no sec. XII a. C. e posteriormente fundaram as Cidades de Conni, na Frígia e de Iconium, na Anatólia.

No Baixo Alentejo e Algarve foram descobertos vários vestígios Arqueológicos que testemunham a existência de uma Civilização detentora de escrita, adoptada antes da chegada dos Fenícios, e que se teria desenvolvido entre o século VIII e o V a.C. A escrita que está presente nas lápides Sepulcrais desta Civilização e nas moedas de Salatia (Alcácer do Sal) e é datável na Primeira Idade do Ferro, surgindo no Sul de Portugal e estendendo-se até à zona de fronteira. As Estelas mais Antigas recuam até ao século VII a.C. e as mais recentes pertencem ao século IV. O período áureo desta Civilização coincidiu com o florescimento do Reino de Tartessos, algo a que não deverá ser alheio a intensa relação comercial e cultural existente entre os dois Povos e que também teve uma escrita, que ao contrário do que sucede com a dos Cónios, é hoje conhecida nas suas linhas gerais.
Não é consensual a designação da primeira escrita na Peninsula Ibérica. Para muitos Historiadores é a escrita do Sudoeste (SO) ou Sud-Lusitana. Já os Linguístas, utilizam as designações de escrita Tartessica ou Turdetana. Outros concordam com a designação de escrita Cónia, por não estar limitada geograficamente, mas relacionada com o Povo e a Cultura que criou essa escrita. E, segundo Leite de Vascocelos com os nomes Konii e Konni , que aparecem inscritos em várias Estelas. A posição destes Estudiosos deve-se á concordância das teorias-hipoteses Históricas e modelos linguísticos actualmente aceites nos meios Cientificos. Estas posições baseiam-se em evidências Linguísticas. Só que até á data não foram encontrados dados Arqueologicos evidentes, daí que certos Investigadores duvidem da existência dos Cónios,tal como outros negam a existência de Celtas na Península.
A Cidade Principal, Conistorgis ficaria a Norte de Ossonoba (actual Cidade de Faro). Conistorgis, que em Língua Cónia, significaria "Cidade Real"(de acordo com Estrabão, que considerava a Região como Celta),foi destruída pelos Lusitanos em represália, por estes terem-se aliado aos Romanos durante a Conquista Romana da Península Ibérica. A localização exacta desta Cidade ainda não foi Descoberta.

Aparentemente, antes da chegada dos Romanos, os Cónios eram Monoteístas. O Deus dos Cónios era Elohim, segundo uma Estela que se encontra presentemente no Museu de Évora. O Sudoeste na Idade do Ferro, desde o séc. VI a.C., apresenta um complexo de influências Religiosas Tartéssicas(bastante Helenizadas) e Célticas ou pré-Celticas, correspondente a uma zona de grandes interacções Culturais e movimentos de Populações.

sexta-feira, 4 de maio de 2018

A Misteriosa Civilização Nok

A Civilização Nok floresceu durante o primeiro Milenio aC, antes de desaparecer no século II dC. Nomeada pela área da Nigéria onde foram descobertos vestígios da sua cultura, pela primeira vez. Algumas teorias postulam que a exploração excessiva dos recursos naturais desempenhou um papel importante no declínio desta População. Seja qual for o motivo, os Cientistas acreditam que esta Civilização desempenhou um papel muito importante no desenvolvimento de outras Culturas na região, como os Povos Yoruba e Benín.
A Estatuetas de Terracota

Os exemplos mais conhecidos de natureza Artística são figuras de terracota encontrados em toda a zona.
Estas Estatuetas foram descobertas em Nok em 1929,quando acidentalmente foram desenterradas por Mineiros de Estanho. Depois de vários testes de laboratório, as figuras foram datadas,por 500 aC pelos Arqueólogos.

Tiveram um Sistema Social Avançado

O Povo Nok tinha um Sistema Social organizado, uma economia bem ordenada e uma forma funcional de Governo que promovia a Paz, a Igualdade e a Justiça na Sociedade. Isso reflecte claramente uma Sociedade estruturada antes do surgimento da Modernidade e da Tecnologia.
Pensa-se também que eles foram os primeiros Africanos a fundir Ferro embora acredita-se que talvez este fosse apresentado a eles pelos Cartagineses. A razão para isso é que não encontram nenhuma evidência sobre a fundição de Cobre, que foi um precursor para a etapa da fundição de Ferro na maior parte das outras Civilizações.
Embora acredite-se que eles foram uma das primeiras Civilizações da África, as evidências da sua existência  tardou a virá tona devido a que  a Nigéria, é um país onde não é possivel ter condições para uma investigação mais aprofundada desta Misteriosa Cultura.

quarta-feira, 2 de maio de 2018

Nova Descoberta, Prova Final de Mundos Paralelos ou Viagens no Tempo?

Por muito tempo, Universos Alternativos ou Paralelos  ou mesmo viagens no Tempo,foram usados ​​como um enredo para um romance ou simplesmente uma história para um filme de Ficção. Mas muitas pessoas  perguntam-se como seria sua vida num Universo Paralelo, ou se há uma versão alternativa da sua pessoa noutra Dimensão. Pois os Cientistas também têm gasto Tempo Investigando o potencial das Realidades Alternativas durante Décadas. Ao longo dos anos, os Cientistas expuseram várias Teorias, algumas das quais têm evidências reais para apoiá-las. Então, se alguma dessas Teorias estiver correcta, existe um Universo diferente do nosso.

Uma das Teorias mais populares dos Universos Alternativos é a "Teoria das Cordas". Segundo essa Teoria, vivemos num multiverso de nove Dimensões, com apenas três Dimensões visíveis para nós. Como só existimos em três Dimensões, nosso Universo ficaria plano como uma folha de papel. Por outro lado, a maneira pela qual as outras Dimensões se expandiriam seria ao longo de  linhas de Tempo e possíveis situações.
Dito isto, versões alternativas do nosso Mundo poderiam ser quase idênticas, ou totalmente diferentes. No entanto,são apenas Teorias. Mas,enfim,o que aconteceria se alguém descobrisse evidências da existência de Universos Paralelos?
É o caso de que que vamos falar...
A Moeda Nazista do Ano de 2039

A moeda misteriosa foi encontrada por Diego Avilés numa obra no México. Avilés explica que o que chamou sua atenção foi quando leu as inscrições e viu que a data do "Reichsmark" era de 2039 e também tinha gravado os Símbolos do Partido Nazista, a Aguia e a Suástica, e algumas palavras escritas em espanhol que diziam "Nova Alemanha".
No México há um estado chamado Nueva Alemania, localizado no Município de La Concordia (no estado de Chiapas), mas sabe-se que não há registro da chegada de nenhuma moeda Nazista.
No reverso da moeda está a Cruz de Ferro e a frase "Alle in Einer Nation", que se traduz como "Tudo Numa Nação", um lema que serviria perfeitamente a um País que tentou  dominar o Mundo.
Muitos Teóricos da Conspiração afirmam que é uma moeda de um "Futuro Alternativo" em que os Nazistas Conquistaram o Mundo, desenvolveram mais as  suas Viagens no Tempo e enviaram dinheiro de volta para o Passado, onde algumas moedas acabaram na  nossa Realidade.
Outros argumentam que é uma nova evidência de Viagens no Tempo, uma prova  que mostra como a Alemanha será um país-chave na iminente III Guerra Mundial que está se iniciando na Síria. Eles também afirmam que os Nazistas que vivem em segredo na Antártida se unirão aos Alemães do IV Reich.
É Realmente uma Moeda do Ano de 2039?

Em primeiro lugar, não há como saber se o Ano de 2039 está escrito na moeda, pelo menos não com as imagens fornecidas. O número "39" é claro, mas poderia ser o ano de 1939...
Como a moeda foi enviada para uma Universidade para exames,ainda  não podemos saber a data que está escrita até que os resultados sejam revelados.
Não haveria duvidas se esta moeda de prata supostamente do ano de 2039, fosse um dispositivo Eletronico, ou Moeda eletronica,no entanto, estamos falando de uma nação que conseguiu Viajar no Tempo e continua a usar a prata como moeda no Ano de 2039.

Então Vamos a Alguns Factos;

Primeiro, há uma inscrição em Espanhol que diz "Nova Alemanha",ora o México nunca foi um Aliado da Alemanha Nazista,mas uma explicação seria que poderia ser uma Moeda Comemorativa...mas o México e a Alemanha não tinham qualquer tipo de Aliança,além disso, o México declarou guerra à Alemanha em 1942.
Outro facto importante é que  não há  nenhuma Moeda Nazista conhecida que tenha a frase inscrita "Alle in Einer Nation".
Mas então, se não é uma montagem, é certamente uma Moeda muito estranha, mesmo que não venha do Futuro ou de um Universo Paralelo.

A verdade é que existem histórias Misteriosas sobre Hitler e os seus Nazistas. As conexões ocultas de Hitler ao Sobrenatural, o Sino Nazista (supostamente a  sua Máquina do Tempo), assassinos Psíquicos ou super Soldados são bem conhecidos,embora ainda haja muito por Descobrir das suas buscas pelo Mundo e Experiências Misteriosas
E você o que pensa sobre esta Moeda?.

segunda-feira, 30 de abril de 2018

A Antartida e os Seus Mistérios 4

Em 1838, Edgar Allan Poe publicou "A Narrativa de Arthur Gordon Pym" descrevendo uma aventura na Antártida onde os aventureiros encontraram ruínas antigas, labirintos e hieróglifos Egípcios nas paredes.

Em 1936, Howard P. Lovecraft publicou um artigo sobre uma Expedição Científica à Antártida intitulada “Nas Montanhas da Loucura” na revista Astounding Stories. A expedição foi muito além das cordilheiras inexploradas, mais altas que os Himalaias. Os membros da expedição encontraram Ruínas Antigas, Labirintos e muros cobertos por estranhos Hieróglifos.
Embora ambas as histórias sejam fictícias, sabemos que a ficção está frequentemente muito próxima da verdade.
Portanto, é possível que uma Civilização altamente avançada ainda permaneçam em Cavernas Subterrâneas na Antártida e é possível que esses vestigios Antigos se tornem visíveis devido a mudanças no ambiente físico da Antártida.
Foram encontradas no Google Earth,algumas estranhas estruturas e anomalias na Antártica que poderiam ser remanescentes do Passado...
O topo de uma antiga parede recta de 488 m. de comprimento?
 Coordenadas;
 74 ° 10'30.48 "S 164 ° 55'45.45" E
O topo de uma parede Antiga recta de 378 m. de comprimento?
Coordenadas;
 74 ° 9'43.12 "S 164 ° 54'44.90" E
Esta imagem mostra as duas estruturas. A distância entre as duas paredes é de cerca de 1600 m.
Coordenadas;
74 ° 10'5.90 "S 164 ° 55'13.14" E
Um bloco rochoso coberto com Hieróglifos?
Coordenadas;
70 ° 41'53.02 "S 68 ° 42'59.33" E

Curioso não é?Vamos esperar por mais Descobertas deste Continente que creio eu,ainda tem muito para se Descobrir...
Acaba aqui esta série de Artigos sobre a Antartida/Antartica,proximamente outros Artigos a não perder.Até lá!!

sexta-feira, 27 de abril de 2018

A Antartida e os Seus Mistérios 3

Batteri-versus-patogeni-Viaggio-nel-mondo-dei-batt
A Antártida Pode Ter Sido o Lar de Uma Civilização Avançada?

A existência da civilização na Antártida começou a chamar atenção dos historiadores profissionais após a Segunda Guerra Mundial. A hipótese pode ser comprovada por Mapas Medievais e as Pesquisas de Paleontologistas e Glaciologistas.Em Janeiro de 1820, o Tenente Imperial Russo, Mikhail Lazarev, encontrou um novo Vontinente. No início do século 20, o famoso Dicionário Enciclopédico "Efron & Brockhaus" continha um artigo no qual declarava que esse Continente era insuficiente e que lá não havia fauna ou flora. Além disso, o autor mencionou a variedade de algas e animais marinhos que habitavam as águas da Antártida.
Cerca de 20 anos depois, o chefe do Museu Nacional de Istambul, Halil Edhem, encontrou um Mapa Antigo, enquanto revisava a Biblioteca de Imperadores Bizantinos num antigo Palácio de Sultões. O autor do mapa ilustrou a Costa Ocidental da África, a Costa Sul da América do Sul e a Costa Norte da Antártida... Halil ficou surpreso. A borda de gelo situada no paralelo 70, na da Terra da Rainha Maud estava livre de gelo. O autor mapeou uma cadeia de montanhas nesse ponto. O nome do Cartógrafo era bem conhecido por Edhem. Foi o Almirante da frota do Império Otomano, Piri Reis, que viveu na primeira metade do século 16.

Em 1949, a expedição Britânica-Sueca realizou em conjunto a completa exploração sísmica do Continente sul através da espessa camada de gelo. Os resultados coincidem com o Mapa de Piri Reis. No entanto, era um Mistério(ou não?...) descobrir como os dados do mapa eram correctos levando em conta o nível da Ciência em 1513.
O Mapa de Piri Reis

O próprio Piri Reis explicou que o Mapa foi baseado em Mapas anteriores, alguns dos quais pertenciam a seus contemporâneos, enquanto outros eram datados do século 4. Um dos Mapas, por exemplo, pertencia a Alexandre, o Grande. Assim Reis não poderia ser responsabilizado pelos dados apresentados no Mapa.

Mapas Medievais mostram a Antártida sem cobertura de gelo ou parcialmente coberta de gelo. A precisão dos Mapas do séculos 16 é incrível!!! Em termos de técnica, podem ser comparados com os do final do séculos 18 e, por vezes, com alguns do século 20.

De acordo com o mapa de Reis, a orla costeira do Continente não é coberta de gelo. Apesar de não se parecer com o Mapa de Reis, o Mapa de Oronteus Finaeus, de 18 anos depois, mostra um platô ao redor do Pólo sul, dentro dos pararelos 80 e às vezes 75. Esse último mostra detalhadamente como é o Continente gelado muito antes dele ter sido Descoberto. Aquela região só viria a ser mapeada em 1956, 400 anos depois.Dá que pensar não?
Em 1949, a expedição do Almirante Richard E. Byrd estava perfurando o mundo do mar nos lugares onde Finaeus marcou os leitos dos rios. Os núcleos continham rochas refinadas, bem misturadas com depósitos, trazidos para o mar pelos rios, as nascentes estão localizadas em latitudes médias (ou seja, não cobertas por gelo algum).
Cientistas do Instituto Carnegie de Washington conseguiram estabelecer com precisão que os rios da Antártida que continham esses depósitos, estavam fluindo há cerca de 6000 anos. Só depois disso, cerca de 4000 anos a.C. o gelo começou a acumular no fundo do mar. Esse facto foi precedido por um longo período de calor.
Como resultado, os Mapas mencionam o nascimento da Antártida no mesmo período em que as Civilizações Egípcias e Sumérias nasceram. A maioria dos Historiadores assumem esse ponto de vista.
maxresdefault-vert 
A Terra da Rainha Maud

No entanto, existe uma hipótese de que entre o quinto e o décimo milênios a.C. uma Civilização Humana viveu no Planeta. Possuía grande conhecimento em Navegação, Cartografia, Astronomia e muitas outras caracteristicas que não eram menores do que, por exemplo, a Civilização do século 18.
Essa Civilização poderia ser uma antecessora de nossa Civilização, e, teria sido criada por Alienígenas.A sua idade pode ser de vários Milenios. Provavelmente foi localizada na Costa Norte do Continente Sul ou do Arquipélago de grandes Ilhas – que foi a Antártida, quando tinha um clima moderado. Mais tarde, essa Civilização pode ter ocupado o Nordeste do Continente Africano.
Essa Civilização pode ter desaparecido por causa da camada de gelo da Terra do Sul, que começou a surgir por volta do décimo milênio a.C.
Outra possível razão poderia ser as grandes inundações locais, que se estendiam por longos períodos, quais são recusadas por Arqueólogos. Tais Catástrofes naturais poderiam destruir quase toda a Cultura dessa proto-Civilização. É possível que parte dela esteja coberta por gelo espesso na Antártida.
 Outra possibilidade é que alguns dos representantes dessa proto-Civilização possa ter sobrevivido. Neste caso, eles poderiam ter passado os seus Conhecimentos aos Egípcios e Sumerios.
 
As Piramides da Antartida

Uma equipa de Exploradores dos EUA e da Europa está afirmando que encontraram evidências de pelo menos três Pirâmides Antigas na gelada Antártida!!!

Até agora, a equipa não divulgou muitas informações sobre a sua Descoberta, embora algumas fotos tivessem aparecido na internet recentemente .
Portanto não podemos afirmar que são de facto Piramides ou apenas Montanhas rochosas...mas que são realmente intrigantes são,com o seu formato quase perfeito...!!!Que acha você,amigo leitor??
 

quarta-feira, 25 de abril de 2018

A Antartida e os Seus Mistérios 2

Os Nazistas na Antártida

Em 1938, uma expedição à Antártida com o navio SCHWAABENLAND, os alemães demarcam e instalam uma base militar de pesquisas Científicas (ninguém sabe com exactidão quais eram as naturezas das operações Nazistas nesta base). Quando a embarcação voltou para Hamburgo, em 11 de Abril de 1940, toda a sua tripulação foi recebida como Heróis Nacionais da Alemanha. Até Hitler pessoalmente estava no porto para receber os seus homens.
O trânsito intenso de Cientistas Alemães de diversos segmentos, entre eles, Zoologistas, Biólogos, Oceanógrafos, Engenheiros, Arqueólogos e um grande volume de edificadores levantaram desconfianças de que algum grande esforço oculto poderia estar sendo realizado na Antártida. Daí, tamanha preocupação dos nazistas em manter sob poderosa vigilância, a faixa que separa estes Continentes.

Aquela fora uma época em que Tabus Religiosos e Mitológicos incentivaram expedições curiosas como a liderada pelo Paleontólogo Dr. Enerst Schafer, na qual, um grupo de oficiais passou anos no Tibet em busca das raízes ancestrais da raça ariana. Hitler acreditava que super seres humanos originados na Atlântida deslocaram-se para as Montanhas do Himalaia e de lá se espalharam por partes da Europa e Índia. Com o tempo, teriam formado outros Povos, entre estes, os Alemães.
O Mito da existência de uma Cidade Subterrânea Nazista na Antártida encontra muitos apoiadores com conhecimento da causa. Entre eles, estão respeitáveis militares condecorados, como o Almirante Richard Byrd, da Marinha dos EUA, cuja missão de exploração Antártica gerou o mais impressionante relato já feito por um oficial de tamanha envergadura, acerca da possível presença de humanos e, inclusive, Criaturas Extraterrestres.

Um Mundo Perdido

Segundo o Mito, alguns Oceanógrafos Alemães do Terceiro Reich, após estudarem a calota de gelo da Antártida, concluíram que centenas de metros sob o gelo, poderiam existir grandes bolsões de ar ou de água, bem como galerias e cavernas naturais, as quais seriam existentes muito antes do Continente ser coberto de gelo.
Através de prospecções realizadas sob grande profundidade, os Alemães teriam encontrado túneis que permitam o acesso às regiões abaixo da camada de gelo, onde se localizavam as supostas galerias e lagos pré-históricos num habitat de clima moderado.
Ao tomarem conhecimento da possibilidade de sobrevivência humana nestas cavidades, os Alemães edificaram uma pequena comunidade de pesquisa.
Com o tempo, a comunidade cresceu e com o final da Segunda Guerra, os habitantes fecharam as portas de acesso para tais locais, ficando somente poucas aberturas, estrategicamente camufladas, em montanhas das diversas cordilheiras antárticas.

O Mito vai além, pois, segundo alguns Pesquisadores, os Alemães ‘subantárticos’ teriam encontrado uma raça de Seres Alienígenas que por Milênios já habitava as profundidades daquela região, os quais teriam como missão, o acompanhamento e análise do desenvolvimento da vida Humana na Terra.
Essa Raça Intraterrena, mas de origem Extraterrestre, teria transferido Tecnologia para os Alemães ‘subantárticos’, promovendo um enorme avanço e permitindo ampliar a noção que eles tinham do nosso mundo e de como a Humanidade se desenvolveu na Terra. Especulação ou realidade, facto é que o próprio Almirante Byrd declara em bom tom, ter visitado estas comunidades subterrâneas da Antártida.
 
Imagens de satélite do Google Earth mostram o que seriam entradas em montanhas distintas na Antártida, elas se localizam sob as coordenadas 66 33' 11.58?s e 99 50' 17.86?. A cavidade da primeira imagem possui 122 metros de largura por 55 de altura, permitindo a passagem de um Helicóptero ou outra Aeronave.

Que Segredos ainda guarda este Continente ainda tão inexplorado? Sob a aparente serenidade das brancas e gélidas planícies Antárticas existem Segredos que desafiam a sanidade humana. Pesquisas recentes revelam factos novos que tornam o assunto ainda mais interessante...
Não perca a continuação deste Artigo...até lá!!!