sexta-feira, 27 de março de 2009

Tiwanaku-Tiahuanaco

Image and video hosting by TinyPic
Tiwanaku (grafias em desuso Tiahuanaco, Tiahuanacu) é um importante sítio arqueológico pré-colombiano situado na Bolívia.
Os Tiwanaku formaram uma importante civilização que floresceu nas proximidades do lago Titicaca, sendo por muitos historiadores considerada como precursora dos incas.

Existem teorias de que o nome tiwanaku teria derivado do termo aimará taypikala que significa pedra no centro, referindo-se à rocha que se situa no meio do lago. Entretanto há de se considerar que os habitantes de Tiwanaku não tinham nenhum idioma escrito.
A cultura de Tiwanaku iniciou-se com uma pequena aldeia aproximadamente no ano 1500 a.C., crescendo e constituindo-se considerável centro urbano entre os anos 300 e 500, daí espargindo sua influência e se tornando um poder regional no sul dos Andes até o ano de 900, quando iniciou sua decadência. Há evidências de que a cidade foi abandonada. Daí em diante desapareceu o estilo artístico que a caracterizava. No ano 1200 a cidade foi abandona devido a secas e escazes de comida, seu império teria desmoronado e seus habitantes teriam abandonado...
As ruínas desta cidade e os sítios arqueológicos mais importantes estão na costa oriental do lago, no lado boliviano, a aproximadamente 72 quilómetros a oeste da capital La Paz.
A cidade cobriu uma extensão máxima de seis quilômetros quadrados e teve no apogeu estimados quarenta mil habitantes. Seu estilo de cerâmica sem igual é encontrado numa vasta área que cobre a moderna Bolívia, Peru, o norte do Chile e a Argentina. No entanto, é difícil dizer se a presença desta cerâmica atesta o poder político desta civilização sobre esta área ou somente atesta sua influência cultural ou talvez apenas meramente comercial.
Tratava-se de uma cultura precursora das grandes construções monumentais da América do Sul que, embora e admiravelmente se utilizasse de grandes de pedras pesando até cem toneladas, as cortavam e requadravam e depois as entalhavam e esculpiam (ou revestiam) para encaixá-las umas às outras com uma precisão e engenhosidade raramente encontradas mesmo na construção monumental inca posterior.
Hoje, após alguns estudos, pensa-se que Tiwanaku poderia ter sido habitada entre 17.000 a.C. a 12.000 a.C.. O principal indício desta tese são as informações astronômicas gravadas da Porta do Sol e o fato de que no local existia um porto para embarcações. Através de mais estudos, alguns estudiosos chegaram a conclusão de que Tiwanaku seria a Atlântida narrada por Platão.
Image and video hosting by TinyPic
A Porta do Sol

É evidente a originalidade do estilo da arte Tiwanaku, mas é perceptível alguma correlação com o estilo da cultura Huari, certo que ambas as culturas definem o período médio do horizonte das culturas pré-incaicas, parecendo que ambas foram precedidas pela cultura Paracas que floresceu na bacia norte do lago Titicaca. Alguns estudiosos afirmam ter encontrado laços com a influência cultural e artística da cultura Chimu.
O sítio arqueológico de Tiwanaku encontra-se num estado lastimável de conservação, já tendo sofrido ao saque de escavadores amadores à cata de preciosidades desde a queda da cidade. Esta destruição continuou no século XIX e início do século XX com acções como a redução das pedras monumentais em britas para a construção de ferrovia e o seu uso como alvo de tiro em exercício militar.
Image and video hosting by TinyPic
Embarcação Inca

Hoje o sítio de Tiwanaku é considerado como patrimônio da humanidade pela UNESCO, administrado pelo governo boliviano.
Curiosidades;

Num dos museus de Tiwanaku, possuem crânios preservados do povo antigo de Tiwanaku, um fato intrigante, é que na civilização Tiwanaku, as crianças que possuíam, inteligência e habilidades superiores as normais, eram escolhidas para serem sacerdotes e sábios, onde desde pequenas recebiam preparação especial, uma delas constituía em uma técnica que se utilizava panos e madeira, que presos à cabeça dessas crianças desde muito pequenas, possibilitavam o aumento do crânio dessas crianças, e eles acreditavam que com isso se tornariam mais inteligentes, com aumento no número de neurônios.
A civilização Tiwanaku, assim como suas sucessoras, possuíam boa técnica de mumificação de corpos, e possuem múmias, tão antigas, e até mais antigas que as egípcias. O que também ajuda para a conservação dessas múmias, é o clima frio e seco.

Descobertas;

Foi encontrado um conjunto cerimonial, onde se plantavam cabeças humanas e de animais, o qual era um símbolo de renascimento e que, acreditavam, traria fertilidade ao solo. Foram encontrados trechos de estrada de 3m de largura. Ofereciam lhamas e alpacas aos deuses (encontrados num templo descoberto em Agosto de 2000), e segundo novas descobertas Tiawanaku teria quase 600km².

Sem comentários:

Enviar um comentário