segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

A Civilização Viking

Vikings

A origem da palavra " Viking " é um tanto incerta. A raiz da palavra germânica vik ou wik está relacionada a mercados, é o sufixo normalmente utilizado para referir-se a " cidade mercadora ", da mesma forma que burg significa " lugar fortificado."
A terra natal dos Vikings era a Noruega, Suécia e a Dinamarca. Eles e seus descendentes controlaram, pelo menos ,temporariamente, a maior parte da costa do mar Báltico, grande parte da Rússia continental, a Normandia na França, Inglaterra, Sicília, Itália meridional e partes da Palestina.

Vikings

As diversas nações viking estabeleceram-se em várias zonas da Europa: Os dinamarqueses navegaram para o sul, em direcção à Frísia, França e partes do sul da Inglaterra. Os suecos navegaram para leste entrando na Rússia, onde Rurik fundou o primeiro estado russo, e pelos rios ao sul para o Mar Negro, Constantinopla e o Império Bizantino. Os noruegueses viajaram para o noroeste e oeste, ocupando as Ilhas Faroé, Shetland, Órcades, Irlanda e Escócia. Excepto nas ilhas britânicas, os noruegueses encontraram principalmente terras desabitadas e fundaram povoados. Primeiro na Islândia em 825 (monges islandeses já estavam lá), depois a Groenlândia (985), foram ocupadas e colonizadas por vikings noruegueses.

Vikings

Em cerca de 1000 d.C., a América do Norte foi descoberta por Leif Eriksson (500 anos antes da “ descoberta ” de Cristóvão Colombo).A Gronelândia foi chamada de Vinland( terra das vinhas). Um pequeno povoado, Leifsbudir , foi fundado na península norte na Terra Nova (Canadá), mas a hostilidade dos indígenas locais(nas várias lutas,foi morto o irmão de Leif,Thorvald) e o clima frio provocaram o fim desta colónia em poucos anos.Embora tivessem abandonado a América do Norte,continuavam a visitá-la,em especial Markland,em busca de ferro e de madeira,recursos que escasseavam na Gronelândia.Os restos arqueológicos deste local - L'Anse aux Meadows - constituem hoje em dia um sítio de Património Mundial da UNESCO.

Vikings

Os Vikings começaram a incursar e colonizar ao longo da parte nordestina de mar Báltico nos séculos VI e VII. No final do século VIII, eles faziam longas incursões descendo os rios da moderna Rússia e estabeleceram fortes ao longo do caminho para a defesa. No século IX eles controlavam Kiev e em 907 uma força de dois mil navios e oitenta mil homens atacou Constantinopla. Eles sairam de lá com um favorável acordo comercial do imperador de Bizâncio. Os vikings fizeram a primeira investida no Oeste no final do século VIII. Os primeiros relatos de invasões viking datam de 793, quando Dinamarqueses (" marinheiros estrangeiros ") atacaram e saquearam o famoso monastério de Lindisfarne, na costa Leste da Inglaterra. Os vikings saquearam o monastério, mataram os monges que resistiram, carregaram seus navios e retornaram à Escandinávia.

Vikings

Nos 200 anos seguintes, a história Europeia encontra-se repleta de contos sobre os vikings e suas pilhagens. O tamanho e a frequência das incursões contra a Inglaterra, França e Alemanha aumentaram ao ponto de se tornarem invasões. Eles saquearam cidades importantes como Hamburgo, Utrecht e Rouen. Colónias foram estabelecidas como bases para futuras incursões. As colónias no Noroeste da França ficaram conhecidas como Normandia (de " Homens do Norte "), e seus residentes eram chamados de normandos. Em 865, um grande exército dinamarquês invadiu a Inglaterra. Eles controlaram a Inglaterra pelos dois séculos seguintes. Um dos últimos reis de toda a Inglaterra até 1066 foi Canuto, que governava a Dinamarca e a Noruega,simultaneamente. Em 871, uma outra grande esquadra navegou pelo rio Sena para atacar Paris. Eles cercaram a cidade por dois anos, até abandonarem o local com um grande pagamento em dinheiro e permissão para pilhar, desimpedidos, a parte Oeste da França. Em 911, o rei da França elevou o chefe da Normandia a Duque em troca da conversão ao cristianismo e da interrupção das incuões. Do Ducado da Normandia veio uma série de notáveis guerreiros como Guilherme I, que conquistou a Inglaterra em 1066; Robert Guiscard e família, que tomaram a Sicília dos árabes entre 1060 e 1091 e Balduíno I, rei cruzado de Jerusalém. Muitos dizem que os vikings usavam elmos com chifres pois receavam, pelas suas crenças, de que o céu lhes pudesse vir a cair nas cabeças.

Vikings

Apesar desta conhecida imagem a respeito deles - que na realidade era uma crença Celta e não nórdica - eles jamais utilizaram tais elmos. Essas características não passam de uma invenção artística das óperas do século XIX, que reforçavam as nacionalidades, no Romantismo, e que visavam a resgatar a imagem dos vikings como bárbaros cruéis,pois sua aparência era incerta. Os capacetes que os vikings verdadeiramente utilizavam eram cónicos e sem chifres .Não existe qualquer tipo de evidência científica (paleográfica, histórica, arqueológica, epigráfica) de que os escandinavos da Era Viking tenham utilizado capacetes córneos. A sua economia baseava-se na pesca (principalmente do bacalhau) e do comércio marítimo que praticavam na região norte da Europa. Eram povos guerreiros, facto que impunha muito respeito na região. Fabricavam armas, escudos de metal e embarcações de guerra ( Drakar ). Não eram cristãos (somente por volta do ano 1000, com o contacto com os europeus, começaram a aderir ao cristianismo), pois acreditavam em vários deuses (religião politeísta) ligados às forças da natureza. Odin (deus da sabedoria e da guerra) era a maior divindade deste povo. Também acreditavam em outros deuses como, por exemplo, Thor (deus do trovão e filho de Odin ) e Freyr ( deus da paz e fertilidade). Acreditavam também nas Valkirias , mulheres valentes que cavalgavam com Odin durante as batalhas. Eram elas que conduziam os bravos guerreiros, mortos em batalhas, para a Valhalla (o céu dos vikings).

Sem comentários:

Enviar um comentário