segunda-feira, 19 de abril de 2010

Tesouro Viking Exibido na Inglaterra

Enigmas

O “maior e mais importante” tesouro viking encontrado na Grã-Bretanha desde 1840 será exibido em exposições em Londres e York após cuidadosos trabalhos de reparação. O tesouro de mil anos, provavelmente enterrado às pressas por um nobre viking em Northumbria durante a invasão dos anglo-saxões, poderia indicar segredos históricos que estavam perdidos, afirmou um especialista do Museu Britânico. As informações são do jornal The Independent.
Os especialistas acreditam que as peças poderiam redesenhar as linhas históricas da conquista anglo-saxônica sobre os vikings durante o século X. O achado inclui objectos do Afeganistão, Irlanda, Rússia e Escandinávia, sublinhando a disseminação global dos contactos culturais durante a época medieval.
O Museu Britânico e o Museu York Trust, em Yorkshire, adquiriram as peças raras em conjunto por um milhão de libras. O tesouro foi descoberto com detector de metais num campo de Harrogate, no norte de Yorkshire.


Enigmas

Os vikings eram piratas vindos ,por mar ,da Escandinávia, formados por noruegueses, suecos e dinamarqueses, chamados de Normandos ou Homens do Norte, na época carolíngia. No século VIII os noruegueses e dinamarqueses começaram a se estabelecer como povos navegadores e conquistadores. Foi nesta época que os Vikings estabeleceram suas primeiras colónias e bases militares fora das suas terras natais. Percorreram as costas da Europa no século VIII e espalharam-se pelo continente até Constantinopla, tornaram-se, no plano comercial, os intermediários entre Bizâncio e o Ocidente, entre cristãos e muçulmanos. Para o sul e fundaram principados no sul da Itália e na Sicília (séculos XI-XII) e para o Ocidente descobriram a Islândia no século IX e a Groenlândia, no século X. Os noruegueses colonizaram o norte da Escócia e da Irlanda, enquanto os dinamarqueses instalaram-se no nordeste da Inglaterra no século IX, organizados em pequenos bandos. Alguns navios carregados de soldados profissionais deixaram o fiorde Vik (793) e rumaram para as ilhas Britânicas, com destino a Ilha de Lindisfarne, hoje Holy Island, na Inglaterra, onde havia um Mosteiro de relactiva importância. Lá operaram um verdadeiro massacre na população do feudo, mataram facilmente os poucos guerreiros do Mosteiro, assassinaram vários monges, aprisionaram outros para vender como escravos, saquearam as peças em ouro e pedras preciosas e por fim atearam fogo à construção. Nos anos que se seguiram, os Vikings realizaram diversos outros reides a Mosteiros em ilhas e na costa inglesa e Escocesa, principalmente na Nortúmbria. No início do século IX, os Dinamarqueses eram conhecidos apenas como Danos, mas aos poucos passaram a se reconhecer como Dinamarqueses e ocuparam o que se tornou a Dinamarca. Os Dinamarqueses também eram considerados Vikings, porém suas rotas de ataques não eram as mesmas dos Noruegueses. A invasão dinamarquesa começou quando uma grande esquadra Viking deixou a Dinamarca rumando para o sul e sudeste da ilha inglesa (851), levando inclusive mulheres e crianças pois visavam se estabelecer na Inglaterra. Desembarcaram na estratégica Ilha de Sheppey, na foz do rio Tâmisa, em e Kent, a menos de 50 km de Londres. Exterminaram o povoado que havia ali e sem muita resistência iniciaram uma povoação Viking na Inglaterra. Depois de se instalarem na ilha Sheppey, os dinamarqueses penetravam no interior da Inglaterra e realizavam saques às diversas cidades, por mais fortificadas que fossem e se converteram no pior pesadelo dos povos Ingleses. Aos poucos os dinamarqueses foram tomando todos os Reinos abaixo da Nortúmbria, como Kent, Lindsey, Anglia Oriental, Mércia, Essex e Sussex. Faltava-lhe apenas o Reino de Wessex, que a essa época já dominava também a Cornualha Britânica. Atacaram o Reino de Wessex (870), mas foram repelidos por Etelred. Em nova ataque (871), mas novamente foram derrotados, agora pelo irmão e sucessor de Etelred, o rei Alfredo.

Enigmas

Depois um novo e mais violento ataque (878). Alfredo impôs nova derrota e obrigou os dinamarqueses e aceitarem a nova fronteira entre as possessões de Wessex e Danelaw. Os sucessores de Alfredo continuaram desfechando ataques a Danelaw, e expulsaram-nos da cidade de York, no centro da Inglaterra, proporcionando a unificação da Inglaterra. Entretanto, Danelaw não foi inteiramente conquistada e a presença Viking na Inglaterra continuou até o reinado de Eduardo, o Confessor, após meados do século XI, inclusive passando pelo reinado do Grande Canuto I. Conseguiram de Carlos III, o Simples, a região actualmente conhecida pelo nome de Normandia e, daí, no século XI, partiriam para conquistar a Inglaterra.

Sem comentários:

Enviar um comentário