quarta-feira, 9 de junho de 2010

Cumas,Uma Antiga Gruta de Profecias

Enigmas

As ruínas do templo perto da baía de Nápoles,marcam o lugar onde uma mulher misteriosa deixou os seus oráculos.Quem era Sibila?Porque é que Cumas foi escolhida como um lugar Sagrado?Que poder teria a Gruta de Cumas?
Os colonos gregos que foram para Itália no séc.VIII a.C escolheram este lugar,para edificarem a sua colónia de Cumas.A extremidade nordeste da baía,um afloramento vulcânico com uma belíssima paisagem,apresentava-se como um local perfeito para erigir uma acrópole protegida por todos os lados por mar,lagos,florestas e montanhas.As ruínas que ainda hoje se conservam,são de uma estrutura do séc.V a.C,reconstruída posteriormente no tempo do Imperador Augusto(27a.C-14d.C)e que foi convertida no séc.VI d.C,numa igrja cristã.Mais abaixo,na ilha,vêem-se a base e o contorno do Templo de Apolo,de origem incerta.Mais abaixo ainda fica a gruta do mais famoso Oráculo do Mundo,o de Cumas.
A mulher sábia capaz de prever o futuro é comum nas tradições de muitos países,mas nenhuma foi tão conhecida na Antiguidade,como Sibila de Cumas.Não se sabe qual o significado do nome Sibila,embora a lenda afirme tratar-se do nome de uma pitonisa de Marpassus,perto de Tróia.Sibila tornou-se portanto o nome de inúmeras profetisas do Mundo Antigo.
Não se tem a certeza da data em que uma mulher de nome Sibila começou a ser conhecida em Cumas,mas sabe-se que no tempo do Império Romano se mostrava o seu túmulo a quem visitava o Templo de Apolo.Na tradição gregas as Sibilas foram associadas a Apolo,Deus da profecia;Pítia uma sacerdotisa de uma Santuário de Delfos,ora mastigava folhas de louro-símbolo do Deus-de modo a entrar num transe profético,ora se sentava no trípode numa brecha existente do chão e inalava fumos vulcânicos e intoxicantes,que dela provinham.A Sacerdotisa era como mensageira do Deus,que falava através de Oráculos completamente ambíguos.
Cumas como Delfos situa-se numa área de grande actividade vulcânica e também Cumas estava associada a Apolo.

Cumas

Onde se situava a Gruta de Sibila?

Na acrópole de Cumas existe uma Gruta que segundo a tradição era de Sibila.No entanto posteriormente,uma escavaçõed aí efectuadas em 1920, mostaram que era uma Gruta muito maior do que se esperava,uma galeria de 183m. de comprimento,foi idenficada como uma obra de engenharia militar.Em 1932,descobriu-se nas proximidades uma 2ª Gruta que os arqueólogos admitiram ser a de Sibila.A galeria de acesso de 107m. de comprimento,contava com 12 pequenas galerias laterais que,abrindo para a encosta da colina,deixavam entrar luz.A galeria principal termina num vestíbulo no qual se dispõem 2 bancos escavados na própria pedra vendo-se,atrás deles uma câmara abobadada.As pessoas deviam sentar-se ali á espera da consulta da Sibila escondida por trás de uma porta que originalmente separava o vestíbulo do interior do Santuário.Certamente estariam numa grande expectativa,uma vez que,durante o dia,faixas alternadas de sombra e luz proveniente das aberturas laterais,provocava nos que se mantinham á espera a sensação de verem aparecer e desaparecer as pessoas que os vinham buscar,para os acompanharem ao interior do Santuário.Os feixes de luz podem também terem servido para intimidar todos os que vinham com segundas intenções.
Os Oráculos de Sibila forma compilados em 9 livros de profecias que a Sibila ofereceu ao último dos 7 reis de Roma,Taquírnio,o Soberbo,por um preço fabuloso.Perante a sua recusa,ela queimou 3 deles e ofereceu-lhe,mais tarde,6 pelo preço original.Perante nova recusa,queimou outros 3 e quando de novo Sibila ofereceu os restantes, o rei acabou por aceitar,perante tal obstinação.Ficaram guardados no Templo do Capitólio,em Roma e consultados pelo Senado em todas as emergências,mas quando um incêndio aconteceu no Templo,também eles arderam(83 a.C).

Sem comentários:

Enviar um comentário