terça-feira, 25 de janeiro de 2011

O Túmulo KV 55

Arqueologia

O túmulo,conhecido como o 55 KV representa a sua posição,seguido do número sequencial em que foi encontrado,e apesar de ser um dos menores túmulos sem qualquer valor arquitectónico ou artístico,e ter aparecido praticamente deserto de tesouros (ou informação útil para esclarecer alguns dos capítulos da história),é uma das maiores dores de cabeça para muitos arqueólogos,em várias circunstâncias que o tornam único,como o facto de que ele foi encontrado por Davis,um escavador de tesouros ávido,que abre a porta que havia sido fechada pelos guardiões da necrópole na antiguidade,e o seu interior fora preenchido com entulho.Dentro da sala aparecem vários personagens reais da dinastia XVIII,juntamente com um caixão sem qualquer item que pudesse dar alguma pista sobre a identidade da múmia que continha.
Muito tem sido escrito a partir de diferentes perspectivas,sobre esta Tumba,e fornecendo várias teorias,o mais difícil de provar cientificamente(devido ao mau estado de conservação de alguns elementos chave trancados dentro do túmulo e do trabalho árduo),é a sua antiguidade,pois foi apagada qualquer pista que pudesse levar a que se percebesse,realmente,o que aconteceu dentro dela.

Arqueologia

Se há um elemento realmente intrigante no túmulo,é o caixão e a múmia que foram encontrados.Á primeira vista este caixão,foi criado num estilo bastante incomum e possuía uma série de manipulações,os especialistas calculam que,este,passou por uma transformação e reutilização.
Os objectos encontrados no túmulo eram muito escassos e de diversas origens,mas tinham em comum,o pertencer a membros da família real Amarniense.Primeiro,apareceu vários selos de argila quebrados com o nome de Tutancâmon,que também firmou que o túmulo foi selado durante o reinado do faraó. Os quatro vasos mágicos, colocados nas sepulturas, como parte do ritual do enterro, e são distribuídos com base nos quatro pontos cardeais, pertencia ao rei Akenaton.Na pequena câmara esculpida na parede oeste,uma representação de mulher com uma peruca típica do período Amarna muito semelhante ao do caixão, mostrava a ligação, embora não se saiba o nome dela...talvez Kiya,a mãe de, Akenhatón,o uma esposa,ou outra ligada com Tutancâmon.

Arqueologia

Conclusão;

A KV 55 permanece em aberto, como se fosse uma descoberta realizada ontem, rodeado por questões não respondidas, e as teorias variam. Tudo nele é cercado por um halo de mistério que nos leva a pensar que algo muito incomum aconteceu ao seu redor. Estamos diante de um túmulo que nunca foi utilizado para os fins normais,de um túmulo, cujo ocupante permanece no mais profundo anonimato, procurou e conseguiu destruir a sua memória com uma violência brutal,em que absurdos foram peneirados sobre ele,no mistério e na escuridão.
É possível que estudos futuros, tais como restos humanos encontrados na mesmo,ou que alguns itens possam voltar para as mãos dos cientistas,e esclarecer algumas dúvidas sobre este hipogeu e, finalmente,podermos dizer que estamos perante a múmia de Akhenaton,um rei da história do Egipto faraónico mais original,um visionário,um tirano para os outros, e confirmar a sua paternidade em relação Tutancâmon.

Sem comentários:

Enviar um comentário