segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

As Pinturas Wandjinas,na Austrália

Australia

Em Kimberley,no noroeste da Austrália,foram descobertos em 1838,pinturas Wandjinas.
Entre as pinturas descobertas nas rochas,o que chamou a particular atenção,foram as figuras de grande porte,medindo até seis metros,com uma face branca e sem boca.As suas cabeças são rodeadas por 1-2 semicírculos sob a forma de uma ferradura que parece linhas finas qie irradiam do círculo exterior.
Os nativos dão a estas pinturas o nome de"Wandjina"e dizem que não foram feitas pelos seus ancestrais,mas foram,sim,pelos seres que elas representam,quando caíram na Terra em tempos antigos.
Os "Wandjinas" eram seres que trouxeram á civilização prosperidade e,como outros Deuses do resto do mundo antigo,o seu símbolo era a serpente emplumada.Nessas pinturas existem figuras de pessoas com sandálias(quando os nativos andavam sempre descalços),variando o número de dedos de 3-7.
De todas as figuras,destaca-se um representando um homem vestido da cabeça aos pés com uma túnica cor de rosa,com um duplo círculo em volta da cabeça,também rosa e dourada,e na zona-de-rosa,uma espécie de registro com seis letras ou números escritos num alfabeto inteiramente desconhecido.Mas não são só o aspecto destas figuras que são impressionantes,também as suas origens e lendas.
Segundo a lenda aborígine,nos tempos antigos,ou "Tempo dos Sonhos",uma grande batalha foi travada em Uluru,numa cidade chamada "Venomous homens serpente"para atacar e destruir as aldeias da região,foi chamado"o Homem Cobra",mas a Deusa Mãe da Terra,protegeu-as criando uma nuvem de gás letal.
As serpentes"Homens venenosos"que sobreviveram foram presas(e segundo a lenda),e ainda hoje permanecem numa prisão sob a Uluru,no mais sagrado de todos os lugares da Austrália,uma colina de granito que muda de cor,mais conhecida,hoje,pelo nome de Ayer's Rock.

Australia

Em 1970 foi descoberto uma pegada humana de 59 centímetros,assim como machados de mão,e várias ferramentas com um peso de entre 5 a 16 kg.Estes instrumentos poderão ter sido criados e utilizados por pessoas com dupla altura fora do normal.
Noutro local sagrado dos aborígenes da Austrália,conhecido como "Moon City" ou "Secret Town",uma outra lenda conta que também houve uma batalha terrível entre o Deus do Sol(que veio do céu num navio)e o Deus da Terra.Os vestígios dessas lutas são refletidas no monólitos e formas estranhas que estão espalhadas por toda a Austrália,e que os cientistas dizem que são erosões produzidas naturalmente,negando aos índios essa teoria.
No início pensava-se que ninguém poderia datar a idade das pinturas por carbono-14,pois é válida apenas para os resíduos orgânicos(ou ex-vivos),e as pinturas dos "Wandjina"em pigmento ocre foram feitas na base mineral.
Foi por acaso,ao olhar para as pinturas que Grahame Walsh observou num ninho de vespas situado acima de um dos "Wandjina"e que à primeira vista,pensou que era recente,a curiosidade fez-o olhar mais de perto,logo percebendo que era um ninho fossilizado,pois o silício contendo água encheu todos os poros do ninho.
Walsh assumiu que seria possível calcular a idade do ninho e que se este,estava acima da pintura,seria pelo menos da mesma idade.
Walsh pediu a colaboração de Richard Roberts,um geólogo especializado na leitura dos grãos de areia por luminescência óptica.
Walsh e Roberts,em 1996,viajaram para Kimberley em busca de mais fósseis nas pinturas,encontrando dois desses ninhos numa pintura.Antes da análise por Walsh e Roberts,os arqueólogos tinham estimado a idade dessas pinturas em cerca de 5000 anos.Após a análise aos ninhos remonta por volta de 17000 anos,contrariando assim o que a ciência diz;que os primeiros habitantes da Austrália tinha aparecido por volta de 65.000 ou 70.000 anos.

Sem comentários:

Enviar um comentário