quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

"Hispania,La Leyenda"

Este fim de semana passado,assisti á primeira época da série espanhola;"Hispania,la Leyenda".A história inspira-se em Viriato e na sua luta contra os Romanos de Galba,na Peninsula Ibérica.
Admito que gostei da série,devido ás suas cenas movimentadas e história em geral da série,mas peca por muitos erros históricos...como o facto de os romanos vestirem-se de vermelho(na época,ainda não usavam essa cor)e os personagens usarem estribos nos cavalos.Os produtores dizem que as fardas coloridas,são para dar um pouco de cor á série e os estribos para protecção dos actores!!!
Também existem nomes nos personagens,totalmente fora de contexto;uma Helena(Grega), um Dario(Persa)e um Sandro(Italiano Medieval)...
É verdade,que pouco sabemos de Viriato,e por isso a história é fantasiosa,para despertar mais atenção,mas para mim,é muito grave,o que narraram logo no ínicio,ou aliás o que não narraram...Que Viriato era um Herói e Chefe Lusitano dos Montes Hermínios(Serra da Estrela)!!!!Eles tratam-no,no filme(Todo)como um chefe/herói(rei)Hispano,dando a entender que "Hispânico",fosse a Espanha actual,a lutar,na altura,contra uma imensidão de Legionários Romanos e não apenas uma tribo de pastores Lusitanos...os ultimos a renderem-se aos Romanos,ou seja...os Portugueses,descendentes dos Lusitanos!!!!
Acredito,que este não foi um erro de pormenor,mas sim,uma outra tentativa,de ficarem com a glória e a fama de povos guerreiros,como tentaram com Cristovão Colombo,dizendo que era Espanhol e não oriundo da Cuba Alentejana!!!!
Quem estuda a história da Peninsula,sabe que os Lusitanos,lutaram contra muitos povos invasores e conseguiram afastá-los do nosso território(tal como os árabes e os franceses),os quais ficaram por muito tempo na actual Espanha...
A minha indignação não é para Espanha ou para os Espanhóis,não,mas sim para os produtores da série,que deviam ser o mínimo verdadeiros,numa série de teor histórico,como é o caso,já que desculpamos,o acima referido!!!!Devemos seguir o lema;"A César o Que é de César!!!"
Felizmente é de louvar,estudiosos espanhóis que estudam a história e os seus personagens a fundo e não tratam de inventar ou imiscuir certos factos...um dos quais Maurício Pastor Munoz,historiador e professor da Universidade de Granada e autor de "Viriato",livro que eu li e que me fascinou,na sua escrita fluente e agradável...

"Viriato" de Maurício Pastor Munoz;

Em declarações à Agência Lusa,ele afirma que Viriato "pertencia a um dos clãs aristocráticos dos Lusitanos,e não era um simples guardador de rebanhos,antes proprietário de cabeças de gado".Por outro lado, Viriato destacou-se ao tornar-se no primeiro líder"capaz de unificar alguns clãs e definir um território,na Península Ibérica".
"Aos clãs Lusitanos,juntaram-se outros grupos,mas Viriato conseguiu não só a unificação como ter'reinado'tranquilo,sem cisões internas durante oito a dez anos", rematou.O chefe Lusitano causou preocupações a Roma pois"podia ser tomado como exemplo por outros povos sob o domínio das águias Romanas,daí o nome de Viriao estar constantemente na boca dos senadores romanos".
Viriato assumiu protagonismo entre 155-139 antes de Cristo durante as guerras Lusitanas,sendo eleito seu líder em 147.No ano seguinte derrota os Romanos em duas batalhas.Em 140 antes de Cristo Viriato assina um tratado de paz com o Império Romano e é considerado "amigo do povo romano",sendo assassinado no ano seguinte.
Muñoz afirmou que Viriato foi "o maior problema militar de Roma".
Pastor Muñoz apaixonara-se pela figura de Viriato desde os tempos de estudante em Mérida.Dedicou-lhe dois anos e meio de investigação para publicar esta biografia, decidindo "reanalisar as fontes clássicas" e "rever tudo o que se tem escrito sobre o herói Lusitano ao longo dos séculos, incluindo a iconografia". Pastor Muñoz afirmou à Lusa que procurou "abrir uma nova linha de investigação" e alertar para o facto "de que é necessário voltar a rever as fontes clássicas, para além de ler tudo o aquilo que se tem escrito".

Sem comentários:

Enviar um comentário