terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

O Castelo Braemar

Castelo Braemar

Braemar Castelo situa-se perto da aldeia de Braemar em Aberdeenshire, na Escócia.Está na posse do chefe do Clã Farquharson que o arrendou a uma Fundação local de Caridade e está aberto ao público.
Em 1689,John Grahame de Claverhouse tentou restabelecer a Monarquia Stuart contra a do Holandês Rei William.
O golpe não foi bem sucedido o que resultou na ocupação do Castelo Braemar pelas tropas governamentais.
Mas John Farquharson de Inverey, também conhecido como o Coronel Negro, conseguiu escapar,retornou ao Castelo,para atacar a guarnição e acabou por incendiar o edifício.Tornou-se mais tarde,o dono do Castelo...
O castelo está supostamente assombrado por vários Fantasmas. Avistamentos foram relatados de uma jovem mulher que estava em lua de mel no Castelo. Ao acordar numa manhã ela se viu sozinha e, acreditando que o seu marido a havia abandonado, cometeu suicídio. Ela costuma aparecer aos recém-casados​​.
Um flautista tem sido visto no corredor e um choque de aço pode ser ouvido ás vezes na escada. Os gritos de um bebé, supostamente assassinado no Castelo, também foram relatados.
O proprio John Farquharson,o Coronel Negro de Inverey tem sido visto nalgumas salas. Seu esboço na cama de dossel foi visto em várias ocasiões, e o cheiro do seu tabaco é dito sentir-se em muitos dos quartos.
Muitos dos fantasmas estão retratados em pinturas,é o caso de Gustave Doré,1873, que,fora pendurado na sala de convívio.

A Civilização Asteca

Povos
O Quotidiano Asteca;

A maioria dos Astecas vivia como os Indios de hoje, nas mais remotas aldeias do México. A família morava numa casa simples, feita de adobe ou pau-a-pique e coberta de palha. O pai trabalhava nos campos com os filhos mais velhos. A mãe cuidava da casa e treinava as filhas nos afazeres domésticos. As mulheres passavam a maior parte do tempo moendo milho numa pedra chata, a "Metate", e fazendo as "Tortillas". Também fiavam e teciam. Os alimentos preferidos eram a pimenta, o milho e o feijão - que produziam em larga escala para o seu consumo. As roupas eram feitas de algodão ou de fibras das folhas de sisal. Os homens usavam tanga, capa e sandálias. As mulheres trajavam saias e blusas sem mangas. Desenhos coloridos nas roupas revelavam a posição Social de cada Asteca. Os Chefes de aldeia usavam uma manta branca e os Embaixadores carregavam um leque,os Sacerdotes vestiam-se de negro.


Photobucket

O Destino Asteca;

Os Astecas acreditavam que o Guardião dos Dias ou Sacerdotes do Calendário pudesse ver o Destino das pessoas. Dessa forma, logo após o nascimento de uma criança, esta era levada pelos seus pais ao Guardião dos Dias para que fizesse uma leitura sobre o seu Destino.
Na leitura, toda decisão importante a ser tomada em relação à vida do bebé era seguida com a orientação do Guardião e esta orientação valia para a vida toda. Seguindo esse roteiro, quando uma pessoa ia decidir sobre viajem, cortejo, escolha de um cônjuge, ela consultava primeiro a Leitura para que não fizesse algo que não constava na leitura do seu Destino.
Os Guardiões dos Dias tinham a missão de esclarecer a Sociedade sobre os Símbolos e a entender o Labirinto de influências ligadas dia após dia.

A Derrota Asteca;

Em nome da Igreja Católica e da Monarquia do Velho Mundo, o Conquistador Espanhol Hernán Cortés e os seus soldados, chegaram em 1519 ao México, Conquistaram e destruíram a Civilização Asteca, erguendo sobre as Ruínas do Templo do seu Deus mais importante, uma Catedral Cristã.Foi feito prisioneiro o Imperador Montezuma,pagou o seu resgate em ouro,mas não salvou,contudo a vida,sendo morto com garrote.
Assim,Por incrível que possa parecer, a Civilização Asteca simplesmente desapareceu. Várias são as hipóteses de como,uma delas alega que o Massacre dos Astecas teria impelido os membros da Civilização a debandarem para a Floresta da América Central. Outra hipótese, coadunada por Ufólogos,afirma que os Astecas eram seres Extraterrestres ou produtos híbridos, que teriam retornado aos seus Planetas de origem, assim que a missão tivesse sido concretizada. Poucos indícios revelam o paradeiro deste povo,mas entretanto, por volta de 1988 uma equipe de reportagem de uma TV de El Salvador encontrou um achado um tanto desconcertante. Incrustadas na parede de um Templo estavam escritas, em "Náuatle" (a língua tradicional dos Astecas), as seguintes palavras;"Nós voltaremos no dia 24 de Dezembro de 2010"!!!

A Sociedade Asteca;

A Sociedade era bastante flexível, ocorrendo mobilidade social dentro do Império.
Alguns membros das baixas camadas livres poderiam ascender à categoria de dignitários graças à bravura nos combates, e chegar a fazer parte da Aristrocracia militar. Poderiam também, dedicar-se aos serviços Religiosos e até, mesmo chegar a ser Supremo Sacerdote.
Ela organizava-se como uma pirâmide desde os Indígenas;na base Escravos (bem tratados), Servos (que trabalhavam nas terras privadas da Nobreza), já a maioria da população era composta pelos comuns,"Macehualtin", que viviam e trabalhavam nas terras comunitárias, por direito de usufruto. Os Comuns pertenciam a grupos familiares "Capulli" (Casas Grandes), que possuíam terra, um Chefe de Clã e um Templo. Acima de todas as categorias anteriores, estava a Nobreza Hereditária,"Pipiltin", de onde saíam os burocratas para o sistema, e de cujas fileiras se formava o Conselho do Imperador.

Povos
A Religião Asteca

De todos os povos Indígenas do México, os Astecas foram os que mais Cultuaram os seus Deuses. À época da chegado dos Espanhóis, a Religião Asteca era uma síntese de Crenças e Cultos. Os Deuses agrários dos povos agrícolas do centro do México fundiram-se com os Deuses Astrais dos povos guerreiros Bárbaros.
Um dos tipos de Cerimónia de Sacrifício Humano era;Que o mais bravo dos prisioneiros de guerra era sacrificado a cada ano. No dia da sua morte, ele tocava flauta no cortejo. Sacerdotes e quatro belas moças acompanhavam-no.

A Sua Cultura

Embora fossem herdeiros culturais de outras grandes Civilizações, os Astecas conseguiram desenvolver técnicas e conhecimentos bastante elevados.
A Arquitectura sobressaiu na construção de Monumentos, Diques e Aquedutos. Na arte da ourivesaria eram mestres. Os Sacerdotes, Astrónomos e Astrólogos Astecas tinham como deveres a contemplação do céu e o estudo do movimento dos Astros.
Os livros eram importantíssimos, os colégios dos Nobres e os Palácios possuíam volumosas Bibliotecas,a escrita era uma mistura de Ideografia com a escrita Fonética, pois alguns caracteres derrotaram idéias e objectos, e outros, designavam sons.


Photobucket

O Calendário

No Calendário encontram-se representadas a Cosmogonia e a Cronologia dos antigos Mexicanos. Ao centro destaca-se o Sol (Deus Tonatiuh) sedento de sangue com o Signo "Nauiollin", Símbolo do nosso Universo. Os quatro braços da Cruz de Santo André, correspondentes ao Signo "Ollin", contêm os Símbolos dos quatro antigos Sóis. Em torno destes Hieróglifos, círculos concêntricos mostram os Signos dos dias, os anos, representados pelo glifo "Xiuitl" composto de 5 pontos, sendo 4 em cruz e mais outro no meio e, enfim, duas "Serpentes de Turquesa", isto é, os dois períodos de 52 anos que correspondem aos 65 anos do Planeta Vénus, os dois constituindo o ciclo de 104 anos denominado "Ueuetiliztli" (Velhice).
Os Astecas tinham conhecimento precisos sobre a duração do Ano, a determinação dos Solstícios, as fases e Eclipses da Lua, a revolução do Planeta Vénus e diversas Constelações, como as Plêiades e a Grande Ursa. Eles atribuíam uma atenção especial à Mensuração do Tempo, numa Aritmética que tinha como base o número 20.
Ao fim de cada período de 52 anos, acendia-se o "Fogo Novo" no cimo da montanha de Uixachtecatl. Isto era denominado "Liga dos Anos". Era comemorado como um verdadeiro "Reveillon" Místico com Sacrifícios, danças, renovação de utensílio domésticos etc.
O Códice Borbónico Asteca mostra os Deuses Tezcatlipoca e Quetzalcóatl, este,na forma de serpente verde devorando um homem. A ilustração mostra a importância do Sacrifício humano na Religião Asteca, assim como a Lenda de que Quetzalcóatl, o Deus desterrado por Tezcatlipoca,que regressaria para comandar os Astecas.

O Segredo dos Astecas

Os Astecas fascinam a Arqueologia e despertam Suposições em torno do seu desaparecimento. Comunidade marcada pelo trabalho e pelas Crenças Religiosas, os Astecas habitavam a região de Aztlán, a Noroeste do México. Sucessores directos da linhagem dos Toltecas, os Astecas inicialmente formavam uma pequena Tribo de caçadores e colectores que, em 1325,deslocou-se em direção à zona Central Mexicana e desenvolveu uma Agricultura moderna e de subsistência. Entre as Invenções dos Astecas, constam a irrigação da terra e a construção dos "Jardins Flutuantes" (cultivo de vegetais em terrenos retirados do fundo dos lagos). A construção das "Chinampas" (nome dado a esses jardins) era feita nos lugares mais rasos dos lagos. Os Astecas demarcavam o local das futuras "Chinampas" com estacas e juncos, enchiam-nos com lodo extraído do fundo do lago e misturavam com um tipo de vegetação aquática que flutuava no lago. Esta vegetação formava uma massa espessa sobre a qual se podia caminhar. Estas tecnologias foram essenciais para a fundação e sobrevivência de Tenochtitlán.

Photobucket

Tenochtitlán

Tenochtitlán,era a capital do Império Asteca, era bela e bem maior que qualquer cidade da Europa na época. Esta Metrópole teve seu apogeu de 400-700 d.C. Com suas enormes Pirâmides do Sol e da Lua (63 e 43m de altura, respectivamente),a sua Avenida dos Mortos (1.700m de comprimento,os seus Templos de Deuses Agrários e da Serpente Plumada,as suas máscaras de pedra dura,a sua magnífica cerâmica, ela parece ter sido uma Metrópole Teocrática e cuja influência se expandiu até á Guatemala.
A sua Aristocracia Sacerdotal era sem dúvida originária da zona dos Olmecas e de El Tajín, enquanto a população camponesa devia ser composta por Indígenas Otomis e outras Tribos rústicas. A Religião compreendia o Culto do Deus da água e da chuva (Tlaloc), da serpente plumada (Quetzalcoatl) Símbolo da fecundidade agrária e da Deusa da água (Chalchiuhtlicue). Acreditavam na Vida após a Morte,como os Egicios,num Paraíso onde os bem-aventurados cantariam a sua felicidade resguadardos por Tlaloc.

A Expansão Portuguesa

Ibericos
A Expansão Maritíma;
Os Portugueses foram os primeiros na expansão ultramarina Européia, no início do século XV do reinado de D. João I. As viagens marítimas foram estratégias para encontrar caminhos alternativos para as Índias, antes usava-se o Mediterrâneo, então dominado pelas cidades-estado italianas de Génova, Veneza e Amalfi.
Os Portugueses queriam ir até ás Índias,em busca das especiarias, disputadas a preço de ouro na Europa. Enquanto isso a França e a Inglaterra resolviam questões feudais respectivamente nas guerras dos Cem Anos e das Rosas.Assim,ocuparam Ceuta,em 1415,em 1418 as ilhas da Madeira,em 1427 as ilhas dos Açores.


Navegadores
Mas numa expedição organizada por D. Henrique, o Navegador, herdeiro de D. João I,conquistaram o Litoral Africano.
As constantes jornadas de feitorias e fortalezas consolidaram a presença Lusa na África,o que impedia a ação de concorrentes e garantia o ouro, escravos, malagueta, algodão e outros produtos.

Navegadores
A viagem do Atlântico ao Índico era perigosa ,com muitos tufões, tempestades, doenças e combates com os nativos.Numa expedição, perder metade das embarcações era normal.
Os Navegadores Lusos também navegaram o Índico, chegando à Indonésia, à China e ao Japão...hoje em dia há indícios que foram os Portugueses,nestas suas viagens que descobriram a Austrália e não os Ingleses,como sempre se supôs.
Portugal passou a ser um Império tricontinental, com diversos domínios na África, na Ásia e na América do Sul.
Enquanto isso, a Espanha também tentava chegar às Índias pelo Ocidente e para isso,os Reis espanhóis Fernando II e Isabel I contrataram os serviços de Cristóvão Colombo, que comandou quatro expedições e no final descobriu a América(a América foi descoberta pelos Vikings,e aí fundaram a sua colónia...).

As Colónias;
Na primeira metade do século XV contornando a África,os Portugueses foram demarcando o caminho com feitorias e portos pelo Litoral Oeste.
Organização política não havia nessas Colónias, apenas áreas portuárias para assegurar o direito dos traficantes de escravos. Como o objetivo era chegar à Ásia, não havia interesse da Coroa em explorar o interior dessas localidades Africanas, muito menos promover o desenvolvimento da Religião.


Navegadores
Na Ásia, entre 1498 e 1499, o Navegador Português Vasco da Gama, iniciou o processo de Colonização. Logo depois, os Espanhóis tomaram as Filipinas, de onde só saíram em 1898.

A Religião;
Quem controlava o culto, a Religião, a catequização dos Indios, a educação e a moral era a Igreja Católica.
Em 1534, o Jesuíta Inácio de Loyola, fundou uma Sociedade para proteger o Catolicismo da Reforma Protestante na Europa e difundir a Religião nas novas terras.
Em pouco tempo, a companhia de Jesus se tornaria a mais influente instituição Religiosa em Portugal e nas Colónias. Os primeiros representantes da Sociedade desembarcaram no Brasil comandados pelo padre Manuel da Nóbrega, em 1549, para evangelizar os Nativos e educar os Colonos.

Navegadores
Entre os séculos XVII e XVIII, os Jesuítas fundaram colégios, construiram escolas e estabeleceram reduções,também chamadas de Missões, essas comunidades reuniam Indios Seminómadas. Os Religiosos ensinavam os princípios Cristãos e preservavam os Indígenas da Escravização Colonial.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

O Castelo Dunstaffnage.

Castelo

O Castelo Dunstaffnage é um parcialmente arruinado castelo em Argyll and Bute , no Oeste da Escócia . Fica a 3 milhas de Oban , situa-se numa plataforma de conglomerados de rocha num promontório ao Sul-Oeste da entrada de Loch Etive , e está rodeado por três lados,pelo mar.
O castelo remonta ao século 13, tornando-o um dos mais antigos castelos da Escócia. Com uma localização estratégica, foi construído pelo Clã MacDougall senhores de Lorn.Dunstaffnage é mantido pela Historic Scotland , e é aberto ao público, embora a portaria do século 16 é mantida como propriedade privada. O prefixo "Dun" no nome significa "Forte" em Gaélico , enquanto o resto do nome deriva do Nórdico "Stafr-nis ", promontório.
Como é habitual nos Castelos Escoceses,diz-se que um Fantasma o assombra,chamado "A Dama de Dunstaffnage". Quem era, ninguém sabe, mas sua aparição revelava sempre grandes acontecimentos na vida particular dos proprietários do Castelo.

Capitao Kidd,o Arguto Pirata e Gentleman

Photobucket

William Kidd,mais conhecido como Capitão Kidd (Greenock, 22 de Janeiro de 1645 - 23 de Maio de 1701), foi um Corsário Escocês. Recebeu ordens da Inglaterra para controlar a Pirataria Francesa na região de Madagascar.

Foi levado para o mar ainda criança,emigrando para Nova Iorque,em 1690.

Em 1689 tinha o seu próprio navio mercante e distinguiu-se como Capitão ao serviço da Inglaterra contra a França,nas Índias Ocidentais Francesas. Enriqueceu rapidamente, e sendo casado com uma viúva Inglesa, Sarah Oort, que possuía duas propriedades herdadas dos dois maridos anteriores a ele,também ajudou para isso... Entrou na política e conheceu o coronel Benjamim Fletcher, Governador de Nova Iorque, conhecido pelos envolvimentos comerciais com Piratas. Para terminar com a Pirataria na costa, o Rei nomeou como governador Lord Bellmont. Em 1695 o capitão Kidd estava em Londres com o seu navio, o "Antigua".
Em Nova Iorque, Robert Livingston propôs-lhe capturar os Piratas e acabar com os saques.Em Londres,na sua residência,Lorde Bellmont,recebeu Kidd como convidado, apresentando-o a pessoas influentes que o poderiam financiar na sua campanha.Como um amigo próximo do Rei, Sir John Sommers, o Duque e Chanceler de Shresbury, o Secretário de Estado Sir Edward Russell, Lorde de Oxford, e o Conde Rommey.Assim,combinaram que os bens capturados seriam divididos; 10% para a Coroa, 60% para os financiadores do Governador de Nova Yorque (Bellmont), permanecendo 15% para Livingston e Kidd e 15% para a tripulação.Depois foi entregue a Kidd uma carta de Corso que o autorizava a capturar inimigos franceses,na Costa de Madagascar.Mas tinha a advertência de não aborrecer amigos e aliados da Inglaterra.
William Kidd tentou abandonar a companhia no começo mas foi pressionado por seus mais influentes financiadores.Acabou por ter que vender o "Antigua" para integralizar a sua parte nas despesas da campanha e adquiriu o navio "The Adventure Galley". Levaram na tripulação homens com famílias como precaução para que eles não tivessem a tentação de se dedicar,também, à Pirataria.
O primeiro incidente infeliz aconteceu quando se omitiram a cumprimentar um navio da Marinha Inglesa, preceito obrigatório a todos os navios que entravam e saíam do Porto. A fragata abriu logo fogo contra o navio de Kidd e, com desrespeito os homens do "The Adventure Galley" mostraram as suas nádegas para a fragata. Como consequência, o navio de Kidd teve a sua tripulação trocada por marujos à margem da lei.
Kidd retornou a Nova Iorque e recrutou o restante da tripulação entre homens em situação desesperada. Após um ano no mar não tinha conseguido uma só presa e a campanha que havia começado foi relegada e começou a dedicar-se à Pirataria. Em Abril de 1697 ancorou no mar Vermelho à espera que passasse algum navio Francês ou Pirata. Depois de uma espera de três semanas, atacaram um navio mercantil Islâmico. O "Espectro", navio sob o comando do capitão Edward Barlow, que fazia a escolta à frota mercante,que estava com o pavilhão Inglês atirou na "The Adventure Galley", rechaçando o ataque. Quando Barlow chegou a Karwar em 14 de Outubro, descreveu Willian Kidd no seu relatório como tendo se transformado num Pirata.


Photobucket

O primeiro saque só ocorreu dois anos depois; era o "Maiden" um navio Arabe que foi renomeado como "Novembro". Kidd acreditou que tinha trabalhado dentro da lei porque o capitão Holandês tinha mostrado passagens Francesas.
A tripulação recusou-se devolver o navio quando foi descoberta a sua verdadeira identidade. Treze membros da tripulação desertaram em Culliford, incluído Robert Bradinham e Joseph Palmer, que testemunharam contra Kidd na tentativa de salvarem-se. A tripulação queimou o "Novembro" e eles prenderam Kidd no seu camarote. Depois da rendição de Kidd, esvaziaram o "The Adventure Galley" que apresentava rombos perigosos.
Entretanto, uma frota Inglesa da Companhia Britânica das Índias Orientais tinha sido enviada para a sua captura. O perdão que foi oferecido a todos os Piratas, excluía a Kidd e a outros dois. Foi condenado à morte por enforcamento. O seu corpo foi mergulhado em alcatrão e pendurado à beira do rio Tamisa, como advertência aos outros piratas,durante meses, até ser completamente devorado pelos pássaros.
As histórias que contavam dele levavam a uma conclusão; o capitão Kidd era o homem mais rico de toda a Inglaterra. No entanto, nenhum dinheiro foi encontrado nas suas embarcações e os Ingleses passaram a acreditar que toda a fortuna devia estar enterrada nas ilhas do Caribe.

Taj Mahal,O Tumulo do Amor

Places

Obra-prima da arquitetura Mongol, o Taj Mahal é considerado um dos mais belos edifícios do Mundo. Foi construído em Agra,a norte da Índia, por iniciativa do Imperador Shah Jahan em memória da sua esposa Mumtaz Mahal.

A Lenda do Palácio Real;

Esta verdadeira história,data do ano de 1607, quando um Príncipe de apenas 20 anos, Herdeiro do Grande Império Mongol,conhece uma jovem Persa-Muçulmana chamada Mumtaz Mahal,por quem se apaixona profundamente.
Ela torna-se aos 19 anos na nova Princesa e segunda Esposa do Imperador,numa celebração que teve lugar na Cidade de Agra, Uttar Pradesh,a cerca de 200 km ao Sul de Delhi, na Índia.
Tinha o Príncipe Herdeiro quinze anos,e ela quatorze anos, a Lenda diz que ela vendia bugigangas quando se conheceram. Seu nome era Aijumad. Ela era bonita, inteligente e culta, mas as razões de Estado interferiram com a paixão precoce; o Príncipe foi obrigado a tomar por Esposa uma Princesa como ele, filha do Rei da Pérsia. Mas a Lei Islâmica veio em seu auxílio; permitir que um homem podesse ter quatro esposas.


Places

Consultou a data do casamento com os Astrólogos da corte. Shah Jahan, foi finalmente capaz de se reunir com a sua amada em 1612, depois de cinco anos impedido de vê-la. Logo depois,o seu nome seria mudado para outro, Mumtaz Mahal, que significa literalmente "A Escolhido do Palácio". O casamento feliz durou dezenove anos. Em 1631, após 19 anos de casamento e uma vida de grande amor, Mumtaz morreu em Berhanpur após dar à luz uma criança, seu filho n º 14. Ela acompanhava o marido numa campanha, que visava acabar com uma rebelião.
O Imperador recebe um pedido da sua amada Esposa, antes de morrer, onde devia cumprir as seguintes promessas;

-Construir o seu Túmulo
-Casar-se novamente
-Ser bom para os seus filhos
-Visitar o seu Túmulo todos os anos no aniversário da sua Morte.

O Imperador e Marido amoroso sentia-se morrendo também. Sua tristeza era tão profunda que ele se trancou no seu quarto oito dias e oito noites, sem comida ou bebida. Após esse tempo, pálido e envelhecido, saiu e ordenou que o luto fosse cumprido no Reino. Proibiu uso de roupas coloridas, tocar música, usar perfumes e jóias, e até mesmo,proibiu o sorriso entre os subditos.


Places

Enquanto isso, Jahan fez um juramento; Mahal iria ter o Tumulo mais belo do Mundo, em testemunho do seu amor e que durasse para sempre a memória do seu nome.
Com a fusão da tradição Persa e Hindu-Muçulmana numa profusão de mármore branco,nasceu a construção de Rauza, ou seja, o Túmulo da "Escolhida do Palácio", a pedido de Shah Jahan.Este Património Mundial foi localizado nas margens do rio Yamuna, em 1631. Para tal construção foi empregado vinte mil trabalhadores e materiais foram transportados desde Marrana por elefantes (1.000)até á distância de 300 quilómetros e Terminando em 1653.


Places

Este Tributo magnífico foi caro para Shah Jahan, que ao perder seu Amor viveu para a Adorar.Este Monumento foi decorado por dentro e por fora por pedras de diferentes lugares, por exemplo, de Bagdá, China, Afeganistão, Tibet, Egito, Pérsia, Iêmen, Rússia e Ceilão, entre outros. Isto levou o Imperador a cair na ruína financeira e, consequentemente, a perder o seu Trono.A disputa deste último provoca uma sangrenta guerra entre os Herdeiros em potencial.Frente a isso Shah Jahan sente-se muito debilitado,e entrega,a e seu filho Aurangzeb o Trono.Este permite-lhe a vida em troca de permanecer preso até ao dia da sua Morte no Forte de Agra.
Finalmente,em 1666 morre,sendo enterrado no Taj junto da sua amada Esposa.
O nome de "Taj Mahal" é geralmente traduzido como "Crown Palace" ou "Palácio da Coroa", mas Historiadores dizem que a sua nomeação é apenas uma abreviação do nome da Escolhida do Palácio, Mumtaz Mahal.


Places

A Promessa de Amor de um Imperador;

Agra, é a capital do grande Império Mongol, fundado em 1526 e durou até 1857. Seu fundador Babur era um descendente de Genghis Khan.
A construção dos Palácios Majestosos foram característicos de cada Imperador Mongol, que depois da sua Morte transformavam-se nos seus Túmulos. Cada um deles foi construído em mármore, com grandes jardins como entradas,mas, sem dúvida, o Taj Mahal é o mais Simbólico de todos eles. É um Monumento de Amor que Shah Jahan oferece à sua Esposa mais amada, Mumtaz Mahal, após a sua Morte (1631).Ele era um amante da Arte e da beleza e todos os estudiosos concordam que a grande Glória do Taj Mahal está na simetria e cuidado com os seus elementos e a forma como se uniram para formar um conjunto particular de Harmonia.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Happy Valentine Day!!!

Red
Photobucket
Red

Castelo Huntingtower

Castelo Huntingtown

O Castelo Huntingtower, perto de Perth,Escócia,foi construído em etapas a partir do século 15 pelo Clã Ruthven e era conhecido como a "Casa de Ruthven".No Verão de 1582,o Castelo foi tomado pleo 4º Lord de Ruthven,que era também o 1º Earl de Gowrie .Gowrie estava envolvido num plano para sequestrar o jovem Rei Jaime VI , filho de Maria, Rainha dos Escoceses.Durante o ano de 1582,Gowrie e os seus companheiros aprisionaram o jovem Rei,durante 10 meses. Este sequestro é conhecido como o " Raid de Ruthven "e os Protestantes conspiradores por trás dele,esperavam ganhar poder através do controle do Rei.James finalmente escapou e perdoou Gowrie, mas após uma segunda tentativa abortada,Gowrie( e os outros comparsas),foi executado e os seus bens (incluindo Huntingtower) foi perdida para a coroa.

Huntingtower é também conhecido pelo Fantasma de "Lady Greensleeves", uma jovem mulher chamada Dorotéia, que era a filha do 1 º Conde de Gowrie.A lenda diz que ela estava apaixonada por um funcionário do Castelo e que os dois costumavam ter encontros clandestinos à noite na Torre oriental, onde os servos dormiam.Uma noite, a mãe da jovem, a Condessa,descobriu o que estava acontecendo e tentou pegar o casal,em flagrante delito.Dorothea ouviu os passos da sua mãe sobre a ponte e,tentou regressar,incapaz de usar a ponte,pelo telhado da Torre. Aqui, ela pulou da Torre para cair em segurança nas ameias da Torre ocidental e assim voltar para a cama onde ela foi descoberta pela mãe.A distância entre as Torres era de vários metros, ela conseguiu uma façanha no salto á distância.No dia seguinte a jovem e o seu amante fugiram e não há registros que contem o que lhes aconteceu.
Mas perdura uma canção dedicada a ela;

"Vem, mais uma vez, e me ame ..." ,"Se estiver doente, o fantasma de Mylady Greensleeves vai curar você. E se estiver ferido de amor, ela vai lhe dar conforto."

Uma serie de avistamentos de uma figura de mulher alta e jovem num vestido de seda verde têm sido vistos em torno de Huntingtower ao longo dos anos, geralmente ao entardecer, mas às vezes em plena luz do dia.A sua presença é um mau Presságio e um prenúncio de algum desastre por vir.Um viajante que permanecera em Huntingtower na década de 1930 relata ter visto a Senhora de Greensleeves num corredor do Castelo. No dia seguinte ele retomou a sua viagem para Fife e afogou-se quando caiu da balsa que o levava através do rio Tay .
A 2ªa Lenda de Huntingtower é sobre o "Poço de St.Conval",numa estrada abaixo do Castelo. A água deste poço destina-se a ter o poder de curar, mas aqueles que vão coletá-lo devem fazê-lo em silêncio;qualquer palavra falada sobre a viagem de ida ou de regresso torna a água inútil.Aqueles que vão buscar a água Milagrosa também devem deixar um pequeno presente,para trás,no poço, como uma moeda ou charme.O poço está em bom estado e ainda hoje,corre.

O Meteorito Que Arrasou Sodoma e Gomorra

Photobucket

É tema recorrente da Ciência tentar desvendar os Mitos fundadores da Religião Católica, muitas vezes carregadas com base Histórica ou Geográfica.Um desses exemplos é no que toca a Sodoma e Gomorra, símbolos do pecado e perversão destruída por Deus em Génesis com uma tempestade de fogo e enxofre.
Cientistas da Universidade de Bristol afirmam agora,que estivesse Deus ou não por meio, Sodoma e Gomorra foram destruidas por um Meteorito e colocam a data do impacto com insólita precisão em 29 de Junho de 3123 anos aC.Esta é uma dedução tirada de uma tábua de argila em exibição numa das salas do Museu Britânico.
O objeto,resgatado no século XIX,das ruínas do palácio de Nínive pelo Arqueólogo Vitoriano Henry Layard, está datado no 700 aC. Em forma de escudo inclui um texto escrito com caracteres Cuneiformes. Até agora, ninguém fora capaz de o decifrar.
Na verdade, houve um excêntrico Historiador anos atrás que se gabava de o ter feito e afirmou que era a prova de um encontro Alienígena. Desta vez,no entanto, parece que os Cientistas decifraram o Enigma e dizem que não é senão a reprodução Assíria do texto de um Astrónomo Sumério escrito no quarto milénio aC.
Os responsáveis ​​pelos achados foram Alan Bond, director de uma empresa Espacial, e Mark Hempsell, professor de Aeronáutica na Universidade de Bristol.

"Os trabalhos anteriores sobre este assunto,não produziram quaisqueres resultados. Este é um grande avanço e encaixam as peças tão bem que eu acho que nós temos a prova definitiva. "

No mínimo, a nova análise sugere que um Asteróide atingiu a Terra nessa data distante, embora não necessariamente prove a destruição de Sodoma e Gomorra. Em qualquer caso,tira qualquer duvida acerca da proliferação de Lendas Apocalípticas na época de todas as Culturas da bacia do Mediterrâneo. Pelo menos 20 histórias diferentes de acordo com Hempsell que surgiram a partir do impacto do Meteorito.


Photobucket

Uma Coluna de Fogo

Um impacto que os pesquisadores situam nos Alpes Austríacos, longe da bacia mesopotâmica e que poderia explicar outro Mistério que tem intrigado os Geólogos de todo o Mundo;o deslocamento enorme de terra ao longo da aldeia alpina de Koefels.
Os Investigadores, que usaram um programa de computador poderoso para decifrar o aspecto do céu no dia do Cataclismo, garantiram que o Meteorito gerou uma coluna de fogo que caiu sobre o Mediterrâneo e bateu em algum lugar no Sinai ou no Oriente Médio,o que explicaria a recorrência do Mito Apocalíptico nas culturas do Crescente Fértil.