quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Capitao Kidd,o Arguto Pirata e Gentleman

Photobucket

William Kidd,mais conhecido como Capitão Kidd (Greenock, 22 de Janeiro de 1645 - 23 de Maio de 1701), foi um Corsário Escocês. Recebeu ordens da Inglaterra para controlar a Pirataria Francesa na região de Madagascar.

Foi levado para o mar ainda criança,emigrando para Nova Iorque,em 1690.

Em 1689 tinha o seu próprio navio mercante e distinguiu-se como Capitão ao serviço da Inglaterra contra a França,nas Índias Ocidentais Francesas. Enriqueceu rapidamente, e sendo casado com uma viúva Inglesa, Sarah Oort, que possuía duas propriedades herdadas dos dois maridos anteriores a ele,também ajudou para isso... Entrou na política e conheceu o coronel Benjamim Fletcher, Governador de Nova Iorque, conhecido pelos envolvimentos comerciais com Piratas. Para terminar com a Pirataria na costa, o Rei nomeou como governador Lord Bellmont. Em 1695 o capitão Kidd estava em Londres com o seu navio, o "Antigua".
Em Nova Iorque, Robert Livingston propôs-lhe capturar os Piratas e acabar com os saques.Em Londres,na sua residência,Lorde Bellmont,recebeu Kidd como convidado, apresentando-o a pessoas influentes que o poderiam financiar na sua campanha.Como um amigo próximo do Rei, Sir John Sommers, o Duque e Chanceler de Shresbury, o Secretário de Estado Sir Edward Russell, Lorde de Oxford, e o Conde Rommey.Assim,combinaram que os bens capturados seriam divididos; 10% para a Coroa, 60% para os financiadores do Governador de Nova Yorque (Bellmont), permanecendo 15% para Livingston e Kidd e 15% para a tripulação.Depois foi entregue a Kidd uma carta de Corso que o autorizava a capturar inimigos franceses,na Costa de Madagascar.Mas tinha a advertência de não aborrecer amigos e aliados da Inglaterra.
William Kidd tentou abandonar a companhia no começo mas foi pressionado por seus mais influentes financiadores.Acabou por ter que vender o "Antigua" para integralizar a sua parte nas despesas da campanha e adquiriu o navio "The Adventure Galley". Levaram na tripulação homens com famílias como precaução para que eles não tivessem a tentação de se dedicar,também, à Pirataria.
O primeiro incidente infeliz aconteceu quando se omitiram a cumprimentar um navio da Marinha Inglesa, preceito obrigatório a todos os navios que entravam e saíam do Porto. A fragata abriu logo fogo contra o navio de Kidd e, com desrespeito os homens do "The Adventure Galley" mostraram as suas nádegas para a fragata. Como consequência, o navio de Kidd teve a sua tripulação trocada por marujos à margem da lei.
Kidd retornou a Nova Iorque e recrutou o restante da tripulação entre homens em situação desesperada. Após um ano no mar não tinha conseguido uma só presa e a campanha que havia começado foi relegada e começou a dedicar-se à Pirataria. Em Abril de 1697 ancorou no mar Vermelho à espera que passasse algum navio Francês ou Pirata. Depois de uma espera de três semanas, atacaram um navio mercantil Islâmico. O "Espectro", navio sob o comando do capitão Edward Barlow, que fazia a escolta à frota mercante,que estava com o pavilhão Inglês atirou na "The Adventure Galley", rechaçando o ataque. Quando Barlow chegou a Karwar em 14 de Outubro, descreveu Willian Kidd no seu relatório como tendo se transformado num Pirata.


Photobucket

O primeiro saque só ocorreu dois anos depois; era o "Maiden" um navio Arabe que foi renomeado como "Novembro". Kidd acreditou que tinha trabalhado dentro da lei porque o capitão Holandês tinha mostrado passagens Francesas.
A tripulação recusou-se devolver o navio quando foi descoberta a sua verdadeira identidade. Treze membros da tripulação desertaram em Culliford, incluído Robert Bradinham e Joseph Palmer, que testemunharam contra Kidd na tentativa de salvarem-se. A tripulação queimou o "Novembro" e eles prenderam Kidd no seu camarote. Depois da rendição de Kidd, esvaziaram o "The Adventure Galley" que apresentava rombos perigosos.
Entretanto, uma frota Inglesa da Companhia Britânica das Índias Orientais tinha sido enviada para a sua captura. O perdão que foi oferecido a todos os Piratas, excluía a Kidd e a outros dois. Foi condenado à morte por enforcamento. O seu corpo foi mergulhado em alcatrão e pendurado à beira do rio Tamisa, como advertência aos outros piratas,durante meses, até ser completamente devorado pelos pássaros.
As histórias que contavam dele levavam a uma conclusão; o capitão Kidd era o homem mais rico de toda a Inglaterra. No entanto, nenhum dinheiro foi encontrado nas suas embarcações e os Ingleses passaram a acreditar que toda a fortuna devia estar enterrada nas ilhas do Caribe.

Sem comentários:

Enviar um comentário