terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

A Civilização Asteca

Povos
O Quotidiano Asteca;

A maioria dos Astecas vivia como os Indios de hoje, nas mais remotas aldeias do México. A família morava numa casa simples, feita de adobe ou pau-a-pique e coberta de palha. O pai trabalhava nos campos com os filhos mais velhos. A mãe cuidava da casa e treinava as filhas nos afazeres domésticos. As mulheres passavam a maior parte do tempo moendo milho numa pedra chata, a "Metate", e fazendo as "Tortillas". Também fiavam e teciam. Os alimentos preferidos eram a pimenta, o milho e o feijão - que produziam em larga escala para o seu consumo. As roupas eram feitas de algodão ou de fibras das folhas de sisal. Os homens usavam tanga, capa e sandálias. As mulheres trajavam saias e blusas sem mangas. Desenhos coloridos nas roupas revelavam a posição Social de cada Asteca. Os Chefes de aldeia usavam uma manta branca e os Embaixadores carregavam um leque,os Sacerdotes vestiam-se de negro.


Photobucket

O Destino Asteca;

Os Astecas acreditavam que o Guardião dos Dias ou Sacerdotes do Calendário pudesse ver o Destino das pessoas. Dessa forma, logo após o nascimento de uma criança, esta era levada pelos seus pais ao Guardião dos Dias para que fizesse uma leitura sobre o seu Destino.
Na leitura, toda decisão importante a ser tomada em relação à vida do bebé era seguida com a orientação do Guardião e esta orientação valia para a vida toda. Seguindo esse roteiro, quando uma pessoa ia decidir sobre viajem, cortejo, escolha de um cônjuge, ela consultava primeiro a Leitura para que não fizesse algo que não constava na leitura do seu Destino.
Os Guardiões dos Dias tinham a missão de esclarecer a Sociedade sobre os Símbolos e a entender o Labirinto de influências ligadas dia após dia.

A Derrota Asteca;

Em nome da Igreja Católica e da Monarquia do Velho Mundo, o Conquistador Espanhol Hernán Cortés e os seus soldados, chegaram em 1519 ao México, Conquistaram e destruíram a Civilização Asteca, erguendo sobre as Ruínas do Templo do seu Deus mais importante, uma Catedral Cristã.Foi feito prisioneiro o Imperador Montezuma,pagou o seu resgate em ouro,mas não salvou,contudo a vida,sendo morto com garrote.
Assim,Por incrível que possa parecer, a Civilização Asteca simplesmente desapareceu. Várias são as hipóteses de como,uma delas alega que o Massacre dos Astecas teria impelido os membros da Civilização a debandarem para a Floresta da América Central. Outra hipótese, coadunada por Ufólogos,afirma que os Astecas eram seres Extraterrestres ou produtos híbridos, que teriam retornado aos seus Planetas de origem, assim que a missão tivesse sido concretizada. Poucos indícios revelam o paradeiro deste povo,mas entretanto, por volta de 1988 uma equipe de reportagem de uma TV de El Salvador encontrou um achado um tanto desconcertante. Incrustadas na parede de um Templo estavam escritas, em "Náuatle" (a língua tradicional dos Astecas), as seguintes palavras;"Nós voltaremos no dia 24 de Dezembro de 2010"!!!

A Sociedade Asteca;

A Sociedade era bastante flexível, ocorrendo mobilidade social dentro do Império.
Alguns membros das baixas camadas livres poderiam ascender à categoria de dignitários graças à bravura nos combates, e chegar a fazer parte da Aristrocracia militar. Poderiam também, dedicar-se aos serviços Religiosos e até, mesmo chegar a ser Supremo Sacerdote.
Ela organizava-se como uma pirâmide desde os Indígenas;na base Escravos (bem tratados), Servos (que trabalhavam nas terras privadas da Nobreza), já a maioria da população era composta pelos comuns,"Macehualtin", que viviam e trabalhavam nas terras comunitárias, por direito de usufruto. Os Comuns pertenciam a grupos familiares "Capulli" (Casas Grandes), que possuíam terra, um Chefe de Clã e um Templo. Acima de todas as categorias anteriores, estava a Nobreza Hereditária,"Pipiltin", de onde saíam os burocratas para o sistema, e de cujas fileiras se formava o Conselho do Imperador.

Povos
A Religião Asteca

De todos os povos Indígenas do México, os Astecas foram os que mais Cultuaram os seus Deuses. À época da chegado dos Espanhóis, a Religião Asteca era uma síntese de Crenças e Cultos. Os Deuses agrários dos povos agrícolas do centro do México fundiram-se com os Deuses Astrais dos povos guerreiros Bárbaros.
Um dos tipos de Cerimónia de Sacrifício Humano era;Que o mais bravo dos prisioneiros de guerra era sacrificado a cada ano. No dia da sua morte, ele tocava flauta no cortejo. Sacerdotes e quatro belas moças acompanhavam-no.

A Sua Cultura

Embora fossem herdeiros culturais de outras grandes Civilizações, os Astecas conseguiram desenvolver técnicas e conhecimentos bastante elevados.
A Arquitectura sobressaiu na construção de Monumentos, Diques e Aquedutos. Na arte da ourivesaria eram mestres. Os Sacerdotes, Astrónomos e Astrólogos Astecas tinham como deveres a contemplação do céu e o estudo do movimento dos Astros.
Os livros eram importantíssimos, os colégios dos Nobres e os Palácios possuíam volumosas Bibliotecas,a escrita era uma mistura de Ideografia com a escrita Fonética, pois alguns caracteres derrotaram idéias e objectos, e outros, designavam sons.


Photobucket

O Calendário

No Calendário encontram-se representadas a Cosmogonia e a Cronologia dos antigos Mexicanos. Ao centro destaca-se o Sol (Deus Tonatiuh) sedento de sangue com o Signo "Nauiollin", Símbolo do nosso Universo. Os quatro braços da Cruz de Santo André, correspondentes ao Signo "Ollin", contêm os Símbolos dos quatro antigos Sóis. Em torno destes Hieróglifos, círculos concêntricos mostram os Signos dos dias, os anos, representados pelo glifo "Xiuitl" composto de 5 pontos, sendo 4 em cruz e mais outro no meio e, enfim, duas "Serpentes de Turquesa", isto é, os dois períodos de 52 anos que correspondem aos 65 anos do Planeta Vénus, os dois constituindo o ciclo de 104 anos denominado "Ueuetiliztli" (Velhice).
Os Astecas tinham conhecimento precisos sobre a duração do Ano, a determinação dos Solstícios, as fases e Eclipses da Lua, a revolução do Planeta Vénus e diversas Constelações, como as Plêiades e a Grande Ursa. Eles atribuíam uma atenção especial à Mensuração do Tempo, numa Aritmética que tinha como base o número 20.
Ao fim de cada período de 52 anos, acendia-se o "Fogo Novo" no cimo da montanha de Uixachtecatl. Isto era denominado "Liga dos Anos". Era comemorado como um verdadeiro "Reveillon" Místico com Sacrifícios, danças, renovação de utensílio domésticos etc.
O Códice Borbónico Asteca mostra os Deuses Tezcatlipoca e Quetzalcóatl, este,na forma de serpente verde devorando um homem. A ilustração mostra a importância do Sacrifício humano na Religião Asteca, assim como a Lenda de que Quetzalcóatl, o Deus desterrado por Tezcatlipoca,que regressaria para comandar os Astecas.

O Segredo dos Astecas

Os Astecas fascinam a Arqueologia e despertam Suposições em torno do seu desaparecimento. Comunidade marcada pelo trabalho e pelas Crenças Religiosas, os Astecas habitavam a região de Aztlán, a Noroeste do México. Sucessores directos da linhagem dos Toltecas, os Astecas inicialmente formavam uma pequena Tribo de caçadores e colectores que, em 1325,deslocou-se em direção à zona Central Mexicana e desenvolveu uma Agricultura moderna e de subsistência. Entre as Invenções dos Astecas, constam a irrigação da terra e a construção dos "Jardins Flutuantes" (cultivo de vegetais em terrenos retirados do fundo dos lagos). A construção das "Chinampas" (nome dado a esses jardins) era feita nos lugares mais rasos dos lagos. Os Astecas demarcavam o local das futuras "Chinampas" com estacas e juncos, enchiam-nos com lodo extraído do fundo do lago e misturavam com um tipo de vegetação aquática que flutuava no lago. Esta vegetação formava uma massa espessa sobre a qual se podia caminhar. Estas tecnologias foram essenciais para a fundação e sobrevivência de Tenochtitlán.

Photobucket

Tenochtitlán

Tenochtitlán,era a capital do Império Asteca, era bela e bem maior que qualquer cidade da Europa na época. Esta Metrópole teve seu apogeu de 400-700 d.C. Com suas enormes Pirâmides do Sol e da Lua (63 e 43m de altura, respectivamente),a sua Avenida dos Mortos (1.700m de comprimento,os seus Templos de Deuses Agrários e da Serpente Plumada,as suas máscaras de pedra dura,a sua magnífica cerâmica, ela parece ter sido uma Metrópole Teocrática e cuja influência se expandiu até á Guatemala.
A sua Aristocracia Sacerdotal era sem dúvida originária da zona dos Olmecas e de El Tajín, enquanto a população camponesa devia ser composta por Indígenas Otomis e outras Tribos rústicas. A Religião compreendia o Culto do Deus da água e da chuva (Tlaloc), da serpente plumada (Quetzalcoatl) Símbolo da fecundidade agrária e da Deusa da água (Chalchiuhtlicue). Acreditavam na Vida após a Morte,como os Egicios,num Paraíso onde os bem-aventurados cantariam a sua felicidade resguadardos por Tlaloc.

Sem comentários:

Enviar um comentário