segunda-feira, 27 de maio de 2013

A Verdadeira Historia dos Borgias 2...


Séparateur
(Continuação...)
Lucrezia Borgia;

Lucrezia Bórgia nasceu em 18 de Abril de 1480, na Comuna de Subiaco, perto de Roma.
Os primeiros anos de vida da menina foram passados na casa da sua mãe,Vanozza, nas imediações de Roma, na chamada "Piazza Pizzo di Merlo", em absoluta paz familiar. Ela tinha um pai que a adorava, uma mãe dedicada, dois irmãos que brigavam pela sua atenção, e outro para mimar,mais novo que ela. Já nesta época, começaram a surgir as primeiras desavenças entre Giovanni e Cesare Bórgia. Tudo começou pela disputa que os dois travavam pela preferência da pequena irmã, e pelos ciúmes que Cesare nutria devido à preferência que o seu pai tinha por Giovanni.
Quando completou nove anos, Lucrezia foi separada dos seus irmãos; Giovanni seguiu para a Espanha. Cesare viu-se obrigado por Rodrigo a entrar para a vida Religiosa, mesmo sem a menor vocação; e a própria Lucrezia foi despachada para a casa de Adriana de Mila, Dama da Nobreza e viúva, a fim de receber uma educação erudita ao lado da rigorosa senhora.

Casamento Com Giovanni Sforza;

Lucrécia casou com Giovanni Sforza em 12 de Junho de 1493; ela tinha 13 anos e ele 26. Sforza recebeu como dote 15.000 Ducados. Todos os seus irmãos estiveram presentes na Cerimónia. Desde que eles haviam saído da casa de Vanozza, em 1489, que os irmãos Bórgia não se encontravam. Cesare, agora Cardeal, e Giovanni, agora Duque de Gandia, brigavam mais do que nunca. Agora não apenas por causa da atenção da irmã ou do pai, mas sim por quem tinha mais mulheres e mais riquezas. Porém, o maior espanto de todos não foi Cesare, Giovanni ou muito menos Gioffre; mas sim, Lucrezia, a noiva, que havia mudado tanto física quanto psicologicamente. Da menininha que era em 1489, agora ela era precocemente uma mulher fatal que já tinha desejos carnais activos. Seu corpo não aparentava, nem de longe, os seus treze anos e já mostrava belas formas capazes de chamar a atenção de qualquer homem. Lucrezia tinha cabelos cor de ouro e olhos de um azul cintilante. Ela ficou famosa como a mais Bela mulher de toda Roma,na época.
Os encantos da garota seduziram todos os presentes, mas não o duro e áspero noivo. Foi documentado que Giovanni Sforza permaneceu frio a Lucrezia durante todas as festividades, e nem sequer dançou com a noiva no banquete. Porém, isso não fez a mínima diferença para ela. Se ela tinha um marido que não estava disposto a dançar, ela tinha irmãos que estavam - e muito.
Lucrezia permaneceu por todo o banquete acompanhada ora por Cesare, ora por Giovanni . Quando marido e mulher foram se deitar no quarto nupcial, os dois leram para a irmã Poemas falando de Amor. 
Começaram aí as primeiras acusações de Incesto na Família Bórgia,embora recitar Poemas de Amor para a noiva era um costume Italiano muito activo no século XV.
O casamento não se consumou, pois a noiva era considerada jovem demais. E, por incrível que isso pareça, Lucrezia se manteve virgem e intacta até á primeira noite com o marido por volta de 1495. Os dois anos que separaram o casamento da consumação, marido e mulher passaram totalmente afastados, Giovanni Sforza governando Pésaro e Lucrezia fruindo as orgias nos aposentos do seu pai e dos seus irmãos no Vaticano. Neste meio tempo, Alexandre depõe Giulia Farnese como sua amante favorita e a expulsa do Vaticano; assim Lucrezia fica sem a amiga. Porém, ela já arranjaria outra; a nova esposa do seu irmãomais novo, Gioffre, Sancha de Aragão, filha Bastarda do Rei de Nápoles.
Giovanni Sforza levou Lucrezia para Pésaro assim que pôde, lá ela foi violentada pelo próprio marido,quando Cesare soube tratara de fazer Vingança. Quando Sforza retornou ao Vaticano com Lucrezia, Cesare  planejava matar Giovanni Sforza para que este parasse de bater em Lucrezia e de violá-la.
Ao perceber que a sua irmã havia ajudado Giovanni Sforza a fugir, Cesare trancou-se no seu quarto com Lucrezia. Conta-se que ela gritava dizendo que estava altamente decepcionada e escandalizada com a sua crueldade e do resto da familia, e que desejava afastar-se deles para sempre. Um pouco menos exaltada, ela pediu ao seu pai que a deixasse passar uma temporada no Convento de San Sisto. Ela partiu, enquanto seus irmãos e Alexandre VI planejavam a anulação do Casamento de Lucrezia com Sforza, baseando-se no hipótese de Giovanni ser impotente (apesar da sua primeira esposa ter morrido em consequência de parto), e que o casamento nunca foi consumado. Duas grandes mentiras!!!
Em 14 de Julho de 1497, César e Giovanni vão Cear na casa da mãe, Vanozza Cattanei. Giovanni parte antes mesmo da Ceia terminar, alegando um encontro amoroso com uma das suas amantes. Ele reaparece apenas dias depois, morto no Rio Tibre, degolado e com grandes feridas por todo o corpo. As Investigações dos emissários de Alexandre VI começaram, e todas as provas apontavam apenas um assassino; Cesare Bórgia. Além de criados seus terem sido vistos nas imediações do local no horário do acontecimento, ele era a pessoa que mais tinha motivos para assassinar Giovanni; a inveja por seu irmão ser duque de Gandia, já que, sendo o mais velho, teoricamente Cesare teria esse direito; a preferência que o pai sempre deu a Giovanni; o ciúme doentio que ele sentia por Lucrezia ser mais próxima a Giovanni - aos olhos dele, já que ela sempre declarou que César era o seu irmão favorito. Ao perceber que seu próprio filho era o responsável, o Papa ordenou que as Investigações fossem terminadas, antes que o Escândalo fosse ainda maior.
Logo após a morte de Giovanni Bórgia, outra polemica familiar ocorria; a suposta gravidez de Lucrécia, apesar de esta estar enclausurada num Convento. Há especulações que durante o processo prolongado da Anulação, Lucrezia consumou um relacionamento com  o belo jovem Espanhol Pedro Calderón, também chamado de Perotto.Calderón era da criadagem do Papa Alexandre e era o incumbido de transportar a correspondência entre pai e filha. O certo é que, por algum tempo, ele realmente foi amante de Lucrezia Bórgia, mas não há como provar se ele a engravidou ou não. Em todo o caso, os inimigos dos Bórgias viriam acusá-la de estar grávida quando seu Casamento foi anulado por falta de consumação.
Foi Documentado que ao descobrir o Romance entre a sua irmã e Pedro, Cesare, desvairado de raiva e de ciúme, o esfaqueou, porém o rapaz conseguiu chegar aos aposentos do Papa e sujou sua batina de sangue. Pedro Calderón escapou desta vez, mas a sorte não lhe sorriria novamente. Pouco depois, ele seguiu o Destino de Giovanni Bórgia, e assim, em Fevereiro de 1498, os corpos de Pedro Calderon, e uma empregada doméstica, Pantasilea, foram encontrados no Rio Tibre. E o assassino foi também o mesmo de Giovanni; Cesare Bórgia.
Em princípios de 1498, Lucrezia seguiu até o Vaticano para atestar sua "virgindade" e assim poder anular o seu Casamento com Giovanni Sforza. Ela conseguiu convencer os jurados, usando várias náguas para esconder seu estado. "Virgo Intacta Sum", declarou ela. Lucrezia agora se preparava para Casar-se novamente, desta vez com Afonso de Aragão, Duque de Biscegli.
Em Março de 1498, o Embaixador de Ferrara afirmou que Lucrezia tinha dado à luz, mas isto foi negado por outras fontes. No entanto, uma criança nasceu na família Bórgia um ano antes do Casamento de Lucrezia com Alfonso de Aragão; foi chamado Giovanni, mas é conhecido pelos Historiadores como o Infante Romano. Em 1501, duas bulas papais foram emitidas sobre a criança, Giovanni Bórgia. Na primeira, foi reconhecido como filho de Cesare de um caso antes do seu casamento. A segunda bula, contraditória, reconheceu-o como o filho do Papa Alexandre VI. O nome de Lucrezia não é mencionado em nenhuma delas, e os rumores de que ela era sua mãe nunca foram provados. A segunda bula foi mantida em segredo por muitos anos, e Giovanni foi assumido como sendo o filho de Cesare. Após a morte de Alexandre, Giovanni foi com Lucrezia para Ferrara, onde ele foi aceito como seu meio-irmão.
Casamento Com Afonso de Biscegli;

Em 17 de Junho de 1498, Lucrezia  desposa Afonso de Biscegli numa Cerimonia pomposa no Vaticano. Lucrezia tinha 18 anos, e Afonso 17. Ele, na realidade não tinha a mínima vontade de se casar com uma Bórgia, pois tinha escutado boatos de que a esposa era uma cruel envenenadora que guardava um veneno mortal dentro de um anel, uma mulher frívola que era "filha, mulher e nora" do seu pai. Porém, ao conhecer Lucrezia e verificar que ela era realmente bonita e aparentemente inofensiva, ele logo se apaixonou terminantemente.
No ano seguinte, Alexandre VI deu à filha Lucrezia a Fortaleza de Nepi e as regiões de Spoleto e Foligno para que ela Governasse. Lucrezia pela primeira vez mostrou a quem quisesse ver que ela não era apenas bonita, mas também muito inteligente e perspicaz. Afinal, ela sabia falar em várias Línguas (além do seu Italiano, Francês, Espanhol, Latim e um pouco de Grego). Governou os lugares com eficiência, justiça e piedade. Porém, a Felicidade de Lucrezia jamais duraria muito;o seu irmão, muito enciumado ao ver a Felicidade da irmã, recomeça a arquitectar. E ele encontra mais um motivo para ter certeza que a Aliança com Biscegli era maligna para a Familia; o facto é que ele se iria casar com uma das Princesas Francesas, e justamente os inimigos de Afonso e da sua Casa de Nápoles
Assim, César Bórgia põe em acção mais um de seus planos sangrentos; o de matar o próprio Afonso de Biscegli. Lucrezia estava grávida agora, e César conseguiu convencer a irmã e o cunhado a ir ter a criança em Roma, que nasceu e foi chamado de Rodrigo. Em Julho de 1500, pouco depois da chegada do Casal, Afonso foi surpreendido por um grupo de homens fortemente armados esperando-o na Praça de São Pedro. Ele foi apunhalado, mas conseguiu fugir até os aposentos de Lucrezia, onde caiu gravemente ferido, no chão. Socorrido imediatamente pela sua mulher; Afonso recuperava-se. Lucrezia e a sua cunhada, Sanchia de Aragão, cuidavam de Biscegli e, com medo de Envenenamento, elas próprias faziam a comida do Duque. Porém numa noite de descuido de Lucrezia e Sanchia, Cesare e Michelotto Corella( um amigo,espião e assassino desde a juventude de Cesare) entraram sorrateiramente nos aposentos de Afonso e o enforcaram. Foi dito que quando saíram do quarto, Cesare deparou-se com Lucrezia do lado de fora. Ela gritou de horror.

Papisa;

Em 1501, o Papa passou algumas semanas em Nápoles, recém Conquistada pelos Franceses. O mais convencional, seria deixar um Cardeal de confiança do Papa na sua ausência para tomar as rédeas do Vaticano. Mas Alexandre VI Escandalizou a Europa com uma escolha inédita;durante sua viagem, a Papisa seria a sua filha Lucrezia Bórgia. O acto totalmente inédito na História do Papado, provocou uma fúria explicável no  Colégio dos Cardeais.
Casamento com Afonso D'Este;

Lucrezia, após  a sua controversa Regência,recolheu-se à Fortaleza de Nepi com o seu filho Rodrigo e Giovanni Bórgia (Infante Romano), enquanto o seu pai e irmão planejam mais um Casamento-chave para ela. Desta vez o novo alvo da família Bórgia era o filho do poderoso Duque de Ferrara, o jovem Afonso d´Este. O Casamento foi confirmado, e realizado em 30 de Dezembro de 1501, sem a presença do noivo, em Cerimonia simples no Vaticano. Em 2 de Fevereiro do ano seguinte, Lucrezia entra triunfalmente em Ferrara. Como Dote, foi pago aos d'Este 200.000 Ducados, apesar da proposta inicial do noivo ter sido de 300.000. Comparando aos 15.000 Ducados pagos a Giovanni Sforza, o primeiro marido de Lucrezia, alguns anos antes, a diferença é formidável. Lucrezia , na época uma menina de treze anos, não tinha nenhuma mácula  no seu nome. Mas agora, aos olhos de toda a Europa, ela era Envenenadora e Incestuosa. Lucrezia nunca mais tornaria a ver Alexandre VI, mas continuava a ver o irmão Cesare... Lucrezia tinha 22 anos e Afonso d´Este 25. Como o Duque de Biscegli, Afonso também não estava muito desejoso de se Casar com uma Bórgia. Mas também acabou sucumbindo aos encantos da jovem.
Na realidade, como disse a própria Isabella d'Este, irmã de Afonso d´Este, Lucrezia Bórgia estava muito acima das expectativas. Eles a imaginavam como uma; "mulher frívola e com a maldade nos olhos", mas o que encontraram foi uma pessoa "sensível e agradável". 
Um Cortesão de Ferrara descreveu a jovem como; 

"...de beleza delicada e grandiosa, que seus bons modos e compostura incríveis fazem parecer ainda maior".

 Lucrezia também teve de se acostumar com a frieza dos d´Este; diferentemente dos Bórgia, eles jamais se permitiam festas "alegres" que cambiavam para as Orgias, tão adoradas por Lucrezia. Em poucos anos, Lucrezia acabou por tornar-se muito mais uma d´Este do que uma Bórgia. Tornou-se inexpressiva, e o sorriso, companhia tão assídua que tinha quando era uma ´Bórgia´, era agora muito raro, apesar de estar sempre contente. As festas agora não faziam mais parte de seu planejamento, e sim as suas visitas aos orfanatos, Hospícios e Conventos. As obras sociais se tornaram prioridades na sua vida.
Cesare mantém visitas constantes à irmã na Corte de Ferrara, já que se instala em Cesena. Quando a irmã cai doente de malária (evento pelo qual abortaria uma criança), Cesare Bórgia vai a Ferrara (interrompendo uma Campanha Militar) desconfiando de um Envenenamento. Ele avisa perigosamente ao Duque que;

 "..se minha irmã morrer, o sangue dela não será o único derramado por aqui". 

Mas Lucrécia cura-se, e só depois o seu desconfiado irmão segue o seu caminho. Eles nunca mais se veriam...
Em 1503, o Papa Alexandre morreu, e com a eleição do Papa Júlio II, Cesare viu seus planos totalmente arruinados.Cesare foi morto em 1507, lutando pela França, numa emboscada na Espanha.
Duquesa de Ferrara;

Com a morte do sogro em 1505, ela e marido foram nomeados Duques de Ferrara. No mesmo ano, deu à luz o primeiro rebento do casal, Afonso. A criança morreu semanas depois, mas três anos depois o Casal Ducal foi presenteado com outro menino, Hércules. Depois deste, vieram outros filhos; Hipólito (1509), Francesco (1516), Alexandre (1514), Eleanora (1515), e Isabel Maria (1519). Ela foi boa mãe para todos os seus filhos, inclusive para os que estavam longe dela, como Rodrigo e o misterioso Giovanni, "O Infante Romano". Sabe-se que Rodrigo morreu em 1512, aos treze anos de idade, fazendo Lucrezia Bórgia sofrer e recolher-se num Convento por algum tempo; mas quanto ao "Infante Romano", apenas se sabe que ele morreu em 1548, tornou-se Duque de Spoleto, mas morreu relativamente esquecido e com pouco Status de neto de Papa, ou filho de Lucrezia Bórgia. Sua Linhagem é totalmente Desconhecida.

A primeira vez que Lucrezia ficou como regente em Ferrara foi um ano após a sua nomeação como Duquesa. Ela aproveitou a oportunidade para mostrar outra simpatia comum de sua família;a vontade de ajudar o Povo Judeu, ao criar um édito proibindo terminantemente qualquer tipo de discriminação contra eles. Lucrezia em Ferrara formou a chamada "Corte das Letras"; incluía escritores como Ludovico Ariosto (que dedicou-lhe "Orlando Furioso"),Pedro Bembo (que definiu o seu amor por Lucrezia Bórgia como "Platonico") e Hércules Strozzi, da poderosa família Strozzi, assassinado por Afonso d´Este pelo ciúme que ele sentia do literato com Lucrezia. Sua Corte também reunia Pintores como Ticiano e Venetto, entre outros. Em 1508, Lucrezia recebe o humanista Erasmo de Roterdã na sua Corte. Em 1506, ficou como Regente de Ferrara durante a ausência do marido, embora estivesse sob a vigilância do seu cunhado, o Cardeal Hipólito. Apesar das constantes Infidelidades do marido, - ele, após a morte de Lucrezia Bórgia, juntou-se a Laura Dianti, uma de suas amantes, que viveu como Duquesa de Ferrara apesar de nunca terem se casado formalmente - Lucrezia foi feliz com Afonso d`Este. Ela nunca o amou realmente, como ao seu segundo marido, porém tinha-lhe apreço e amizade.
Como uma Bórgia, Lucrezia guardava algum rancor do papa Júlio II (Giuliano della Rovere). Afinal, ele havia sido Inimigo ferrenho do seu Pai e traído seu irmão. Então, ela se jubilou quando Ferrara entrou em Guerra contra o Papa em 1511, e mais ainda quando a venceu. Comemorou mais ainda quando o Papa Júlio morreu, e quem assumiu o Trono Papal foi Giovanni de Médici, que adoptou o nome de Leão X. Afinal, os Médici sempre foi aliados dos Bórgias. Inclusive o novo Papa havia sido muito amigo do seu irmão Cesare nos tempos em que ambos cursavam a Universidade de Pisa.
Morte;

Aos 39 anos de idade, Lucrécia estava prestes a enfrentar outro parto. Prevendo a sua morte, ela enviou uma carta ao Papa Leão X pedindo a Bênção especial. Cercada de amor familiar, em 24 de Junho de 1519, morreu em Ferrara, após uma longa febre pós-parto. A bênção Papal não veio a tempo, mas Leão X escreveu ao viúvo que lamentava muito a morte da "Boa Duquesa", de quem o "inesquecível amigo Cesare falava com tanto carinho". Foi Sepultada no "Convento de Corpus Domini" (do qual ela foi protectora em vida), em Ferrara,num hábito de Freira.
A vida de Lucrécia estimulou as lendas, por sua beleza, por sua inteligência, seu refinado sentido político e seu talento. Admirada por brilhantes espíritos, em Ferrara foi adorada e apelidada «A Mãe do Povo».
Gioffre Bórgia, o menos turbulento dos filhos de Vanozza,é encarado hoje como o melhor dos Bórgia. Sempre apagado diante dos seus irmãos; Giovanni (Juan), que não tinha escrúpulos, o ambicioso César, a brilhante Lucrezia. Gioffre nunca se importou, como atesta um contemporâneo e, como tinha real vocação Religiosa, foi feito Cardeal após a morte da sua mulher Sanchia, em 1504. Quando desgraçadamente morreu o irmão Cesare três anos depois, foi obrigado a deixar a Igreja como único varão na família. Casou-se então por segunda vez com Maria de Milão, sendo pai de Francesco, Marina, e Lucrezia Bórgia, Baptizada em homenagem à irmã. Morto em 1517.

Filhos de Lucrezia;

O seu primeiro filho com Afonso, Hércules d'Este, de aparência física idêntica à do pai, sucedeu-o como Duque de Ferrara em 1534; foi pai de cinco filhos, e morreu em 1559. Hipólito tornou-se um alto Religioso, e morreu em 1572, como um verdadeiro Cardeal Bórgia; com uma boa fortuna, e muitos filhos chorando a sua morte; Francisco, filho de Lucrezia, foi Marquês de Massolambarda e pai de dois filhos, morreu em 1578, os três, sem dúvidas, eram muito mais Bórgia do que d´Este. Alexandre viveu apenas por dois anos. Eleonora herdou a beleza da mãe, assim como o fascínio que causava nos Poetas. Apesar disso, tornou-se uma Freira por ordens do seu pai, e morreu como uma Abadessa virtuosa em 1575. E Isabel Maria, a menina cujo parto causou a morte da mãe, seguiu a mãe e morreu semanas depois.

Giovanni Bórgia, o Infante Romano, teve a Paternidade reconhecida tanto por Alexandre VI como por Cesare em duas bulas Papais separadas, mas houve boatos de que era filho de Lucrezia e Perotto. A criança (identificada na vida adulta como meio-irmão de Lucrezia) foi provavelmente o resultado de uma relação entre Rodrigo Bórgia  e uma amante desconhecida e não foi filho de Lucrezia.
(Fim...)
Séparateur

Sem comentários:

Enviar um comentário