sexta-feira, 2 de agosto de 2013

4ª e Ultima Parte da Vida Misteriosa de Cristovão Colombo...

E pronto,Hoje acabamos a narração com a 4ª parte,agora com as varias Teorias da sua Origem...
Porquê ele escondeu a sua Origem...mesmo após a sua morte?Muitos afirmam que era Judeu ,outros que era Espião do nosso Rei D.João,que era um foragido da Lei...Bem Tantas e tantas coisas...Se fosse um Foragido da Lei...isso explicaria o Misterio,mas as outras duas Teorias...?!
Bem é melhor irmos ao que Interessa...

Teorias Sobre a Origem de Cristóvão Colombo;

A origem de Cristóvão Colombo é enigmática. O seu próprio filho, Fernando Colombo (baptizado Hernando Colón em Espanha), na sua "Historia del almirante Don Cristóbal Colón" obscureceu a verdadeira Pátria e origem do seu pai, afirmando que o seu Progenitor não queria que fossem conhecidas essas informações.Porquê tanto mistério?!

Por este motivo surgiram inumeras Teorias sobre o verdadeiro local  de nascimento de Cristovão Colombo...Eis as principais;

A Hipotese Portuguesa;

A ideia de que Cristóvão Colombo teria nascido em Portugal surgiu em 1915, pois todos os autores anteriores que de algum modo expressaram a sua naturalidade, incluindo os cronistas seus contemporâneos, afirmavam ser Italiano ou Genovês.

Em 1915, numa conferência apresentada à Academia das Ciências, Patrocínio Ribeiro defendeu a essa Hipótese. Em 1914 D. Enrique de Arribas y Trull, na Sociedade de Geografia de Lisboa, o conferencista afirma que Colombo era Galego, baseando-se para o efeito em Documentos pretensamente encontrados em Pontevedra por Celso García de la Riega, documentação essa que, em 1917, Eladio Oviedo Arce demonstrou ser falsa .
Em 1927 o artigo de Ribeiro é reeditado postumamente com acrescentos e alterações, nele se conclui que Colombo é natural de Colos no Alentejo e que o seu verdadeiro nome é Cristóvão de Colos . Este mesmo livro inclui um estudo cabalístico da assinatura de Colombo feito pelo médico Barbosa Soeiro , estudo esse que, abre o caminho para outro tipo de abordagens dentro desta linha de argumentação.
Na sua comunicação, Arribas y Trull apresentara um rol de topónimos dados por Colombo às terras que descobriu no Novo Mundo e fá-los corresponder a topónimos Galegos, pretendendo com isso demonstrar que Colombo teria dado às terras que descobriu os nomes da sua própria terra, afirmando mesmo que não deu nenhum topónimo Português ou Italiano às suas Descobertas. Para demonstrar a fragilidade da argumentação de Arribas, Patrocínio Ribeiro repete o mesmo exercício, desta vez com topónimos dados às terras a que os Portugueses chegaram no Atlântico anteriores às viagens de Colombo e depois faz o mesmo exercício com terras do Alentejo, concluindo que os nomes atribuídos pelo Almirante são Alentejanos, e que - pela lógica toponímica - essa seria a terra do navegador.
Também é publicado um pequeno estudo de Moses B. Amzalak sobre a assinatura do Navegador, no qual, em vez de nela procurar significados a partir do Latim ou do Grego como os anteriores, busca no Hebraico forma de a decifrar e assim saber quem realmente era Cristóvão Colombo.
Pestana Júnior  escreve um livro apoiando  a Tese de Colombo Português.
Muitos outros autores foram contribuindo com diferentes e, frequentemente, contraditórias ideias em defesa da naturalidade portuguesa do descobridor do Novo Mundo.
Mais recentemente há autores dizendo-o de Cuba, no Alentejo, e que o seu nome é Salvador Fernandes Zarco, como é sustentado por Mascarenhas Barreto . Esta última ideia foi popularizada entre o grande público pelo romancista José Rodrigues dos Santos .
Manuel da Silva Rosa foi ainda mais além, mostrando uma lista de uns 80 nomes tão Portugueses como Caxinas, Cabo de Lapa, Natividade, Vale do Paraíso, Cabo Talhado e Cabo Agulhas (estes dois últimos usados por Bartolomeu Dias na Descoberta do Cabo da Boa Esperança).
 Outro facto utilizado por Manuel Rosa são estas palavras de Colombo;

" Lembrem-se Vossas Altezas que eu deixei mulher e filhos e vim da minha terra para os servir!" Escritas,desde Lisboa a 4 de Março de 1493, quando regressava da viagem de Descoberta. Como Colombo nunca saiu de Itália mas sim de Portugal para servir em Espanha, e como só estava casado em Portugal com a Filipa Moniz essa "minha terra refere-se a Portugal".

Hiposese Genovesa;

No Documento "Fundación de Mayorazgo", onde Colombo supostamente declara a sua naturalidade Genovesa, alguns autores e investigadores como Manuel Rosa apresentaram evidências que, provariam que o Documento, com data inicial de 1598, sendo depois um 4 escrito por cima do 5 (ver imagem), fora inventada por Baltasar Colombo, litigante no Pleito do Ducado de Verágua. Manuel Rosa apresenta ainda evidências que provariam que o documento sobre os Genoveses "Paolo di Negro e Lodovico Centurione" não fazia parte do testamentos de Colombo de 1506 e que fora escrito por outro notário, Pedro Azcoitia, anos após a morte de Colombo e que a autenticidade desse documento fora também contestada durante o Pleito do Ducado de Verágua por haver no documento "de Azcoitia ,uma falsidade manifesta.

Hipótese Catalã;

Luis Ulloa, Historiador Peruano que residiu em Barcelona vários anos, afirmava que Colombo era de origem Catalã e de tradição Marítima, baseando-se, nos seus escritos, todos em língua Castelhana.Para ele, Cristóvão Colombo foi um nobre Catalão que se chamaria na verdade Joan Colom, um Navegador inimigo de João II de Aragão, contra o qual lutou a serviço de Renato de Anjou, aspirante ao trono...
Da hipótese Catalã surgiram diferentes correntes como, a Maiorquina, identifica Colombo como filho natural do Príncipe de Viana nascido em Felanitx, Mallorca.Todavia, o Investigador, jornalista e piloto mercante, Nito Verdera, rejeitou essa tese,mas no entanto, sustentou a teoria que Colombo era Judeu e nasceu em Ibiza.

Hipótese Galega;

Outra hipótese sugere que Colombo seria de origem Galega; Celso García de la Riega sustentava esta teoria baseando-se em documentos da época Colombina, entretanto, posteriormente foram descobertos pelos estudos realizados tanto pelo Paleógrafo Eladio Oviedo Arce,como pela Real Academia de História que os documentos eram falsos ou haviam sido manipulados em datas posteriores à sua criação.

Outras Hipóteses;

Também surgiram outras outras teorias,que lhe atribuem origem Andaluz, de Sevilha,Castelhana de Guadalajara,Extremenho de Plasencia ou Basca.
Outros Países também competem ser o berço do Almirante, como origem Grega,Inglesa,Corso,Norueguês ou croata.

Língua Materna;

Sobre a língua materna de Colombo também existe controvérsia, já que, segundo os investigadores, é um importante ponto de apoio para uma ou outra teria sobre a sua cidade natal.A maior parte de seus escritos estão em Castelhano,mas com evidentes expressões Linguísticas procedentes de outras línguas da Península Ibérica que, segundo Menéndez Pidal,muitos coincidem com Portuguesismos.Há vários Investigadores e Linguistas, tanto da Galiza como da Catalunha ou das Baleares, que apoiam a hipótese de que são Galeguismos ou Catalanismos.
Não parecem existir escritos em Italiano realizados por Colombo, salvo alguma nota marginal, ao que parece com uma redação deficiente. Em Latim tão pouco parecia dominá-lo e o escrevia com influência Hispânica e não Italiana.

Qual a sua verdadeira origem?Quanto a mim,as Hipoteses Portuguesa e Espanhola,ganham!!!
Embora,eu após ler tanto sobre ele via livros e Internet,considere que podesse ser Português,pois existem mais vestigios disso...O Resto?Ideias Ridiculas...Meu Deus Norueguês??!!!Só Falta dizerem que ele era um Viking!!!!
A verdade é que todos os Paises Desejam a Fama de serem considerados o Berço do Navegador...
Mas a resolução do Misterio,talvez nunca se Descubra...!!!

Sem comentários:

Enviar um comentário