terça-feira, 30 de maio de 2017

Conimbriga For Abandonada Mais Tarde do Que Se Pensava

Foto de Gracinha Domingues.
Conímbriga não foi abandonada antes da Idade Média,o que contribuiu certamente,para o bom estado de conservação dos seus vestígios Arqueológicos. Depois da invasão da Cidade pelos Suevos, em 465 e 468, e do generalizado declínio da presença Romana na Península Ibérica, Conímbriga “sobreviveu além do que se esperava”... ao contrario do que sempre se pensara que o seu abandono tivesse sido muito rápido,depois das Invasões e dos saques dos Suevos, no século V.
Foto de Gracinha Domingues.
Com as novas Investigações Arqueológicas  e a Descoberta de objectos de várias épocas posteriores à ocupação Romana da Península,levam a entender isso mesmo.
Com as Invasões, Conímbriga perde alguns aspectos da sua qualidade urbana, mas continua a ser habitada. A mostrá-lo estão vestígios da presença Muçulmana, e também da Ordem de Cristo.
As Necrópoles mostram a diversidade das posteriores ocupações; algumas Sepulturas, com o corpo depositado de costas e as mãos sobre o ventre,segundo os Rituais Cristãos; noutras, constata-se que há deposição em decúbito lateral, conforme a Fé Islâmica.
Foto de Gracinha Domingues.
A cidade foi ocupada até ao século IX e apartir de então, deixa-se de se ouvir falar de Conímbriga e começa a ouvir-se falar em Condeixa-a-VelhaTambem outra cidade  vai crescendo em influência, a antiga "Aeminium", hoje conhecida por Coimbra.
Os objectos agora expostos nas vitrines do seu Museu correspondem a vários períodos. Para além de pedaços de cerâmica, há uma ânfora usada como caixão para os enterramentos infantis e, ao lado, um conjunto de fivelas, fíbulas e um elemento de arreio de cavalo, encontrados em escavações realizadas já no século XXI.
Foto de Gracinha Domingues.
Dois marcos de propriedade com a inscrição “Almedina” fazem referência ao período da Ordem de Cristo, quando aquele lugar era conhecido como Almedina de Condeixa. Com excepção dos elementos metálicos, todos os vestígios expostos em Conímbriga, o fim da cidade romana vêm a público pela primeira vez.
Com o tempo, Conímbriga, apesar de manter sempre a muralha visível, acabou por se tornar num olival. Uma das imagens da exposição mostra “uma das fotografias aéreas mais antigas da Arqueologia Portuguesa”, captando os trabalhos que ali decorreram algures entre 1930 e 1939.

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Você Sabia?

Foto de Gracinha Domingues.

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Algumas Curiosidades Sobre a Lua

Foto de Gracinha Domingues.
Como acontece o movimento de rotação da Lua? Ela gira em torno do quê ? Como estes giros influenciam as fases de seu ciclo?
A Lua tem uma rotação em torno do seu próprio eixo, que dura 27 dias, 7 horas e 33 minutos.O seu movimento ao redor da Terra leva o mesmo período para acontecer e, por conta disso, os observadores daqui observam sempre a mesma face do nosso Satélite. Quanto às fases que apresenta, trata-se de um fenomeno geométrico, que depende unicamente da sua posição em relação à Terra e do ângulo de incidência dos raios Solares sobre ela. Neste aspecto, o ciclo tem uma duração de 29 dias, 12 horas e 44 minutos e não sofre nenhuma influência do movimento de rotação.

Você Sabia?

Foto de Gracinha Domingues.

terça-feira, 9 de maio de 2017

A Macabra Mina de Ferro de Garth Hills

Foto de Gracinha Domingues.

A Mina situa-se num Monte perto de Taffs Well, Cardiff,Inglaterra.Encontra-se dentro do enorme complexo da pedreira de Streetley Quarry e remonta possivelmente ao séc.18 onde trabalhavam mais de 50 homens e rapazes,sendo bastante produtiva.No início da década de 1870, a mina produzia cerca de 15.000 toneladas de minério de ferro e 265 toneladas de Ocre de alta qualidade (usado na produção de tintas),por ano. Foi oficialmente abandonada em 1884 e ficou inundada até o nível do túnel de entrada, ou seja, cerca de 200 m, está submerso pela água,criando belos lagos subterrâneos. Reabriu esporadicamente por alguns anos ente os anos de 1920 e os 30, e o seu último uso foi armazenar escudos de aviões durante a II Guerra.
Nesta Mina aconteceram pelo menos 2 suicidios/homicidios dificeis de desvendar.O primeiro  foi um suicídio(?) ,que aconteceu supostamente em 1930, quando um trabalhador da Mina, que tinha apenas um braço, matou-se e segundo dizem,deixou o seu Fantasma assombrar o local para sempre.
O segundo foi uma jovem cujo corpo foi encontrado,a 2 de Novembro de 1963,por um grupo de rapazes,na base de um eixo ao lado de uma dos cavernas superiores. Ela tinha sido estrangulada e atirada no poço,apenas 24 horas antes. Nenhuma prisão nunca foi feita !!!

Pronto,não percam os proximos Artigos,subscrevam o Blog e/ou a Pagina do Facebook...Tenham Uma Boa Tarde Amiguinhos e Sejam Felizes!!!

terça-feira, 2 de maio de 2017

A Ilha Japonesa de Okunoshima

Foto de Gracinha Domingues.
A pequena Ilha de Okunoshima  na costa do Japão não aparecia na maioria dos mapas até 1988,nesse ano o Governo Japonês construiu um Museu em memória das pessoas que trabalhavam lá durante a Segunda Guerra Mundial.
Apesar de seu tamanho reduzido, a Ilha desempenhou um papel muito importante na Guerra,já que o lugar abrigava uma fábrica secreta de Armas Químicas (á base de gás mostarda) entre 1927 e 1945. Hoje, a fábrica abandonada ainda está de pé e, embora a Ilha esteja aberta ao público, os visitantes não estão autorizados a entrar por causa do risco de contaminação.
Acredita-se que ainda existam reservas escondidas de gás mostarda espalhados pela Ilha, mas ninguém sabe realmente, porque todos os registos da planta do lugar foram queimados no final da Guerra.
Como Curiosidade esta Ilha é também conhecida por"Ilha dos Coelhos"...verdade,nela habitam inumeros coelhos que não se fazem de rogados a pedir comida aos visitantes.
O porquê de tantos coelhos??É sabido que os coelhos eram utilizados para testar as Armas Químicas,embora não haja provas de que estes coelhos sejam os descendentes desses. De acordo com Ellis Krauss, professor de política Japonesa na "University of California San Diego", é bastante improvável que as duas gerações de coelhos estejam relacionadas;

“Os coelhos não são descendentes dos que foram utilizados nos testes das Armas Químicas durante a Guerra.Os coelhos dos testes foram eutanasiados pelos Americanos durante a ocupação do Japão. Cerca de 200 destes estavam a ser utilizados nos testes”

Se todos os coelhos da Ilha foram abatidos, é difícil perceber como é que os animais voltaram a dominar Okunoshima. Porém existem algumas  explicações,por exemplo; que um casal Britânico trouxe um casal de coelhos e os libertou,ou que outros turistas vieram à Ilha, provavelmente crianças, e fizeram o mesmo. Existe a possibilidade de que alguém que queria tornar a Ilha num local Turístico o fez...Não existe certezas nenhumas e por isso ás vezes a explicação é muito mais simples do que se imagina...que um casal de coelhos poderia ter escapado dos Americanos...!!!

Cerca de 700 coelhos habitam actualmente na Ilha e dada a falta de predadores, os coelhos reproduzem-se livremente. Porém, Krauss indica que os coelhos não teriam atingido um número tão elevado sem a ajuda humana.

“O mais interessante acerca destes coelhos é que a água do solo e algumas partes do solo ainda estão contaminadas. Toda a água que é consumida na ilha é engarrafada e trazida de fora e, posteriormente, as pessoas deixam água potável para os coelhos”.